Como o Disaster Recovery as a Service pode proteger a sua empresa

Em um mundo onde ameaças virtuais são cada vez mais comuns, não pensar em planos de contingência de desastres é um risco cada vez maior para empresas. Neste cenário, com o avanço da tecnologia, corporações têm opções de solução disponíveis no mercado que atendem as mais diferentes necessidades para proteção de suas informações, como o Disaster Recovery as a Service, por exemplo.

Sem a proteção adequada, sua empresa poderá simplesmente desaparecer.

As ameaças se dão de diferentes formas e, caso você não tenha um plano de ação e contingência bem definido, o risco é grande. Algumas das situações comuns são os famosos ataques hackers, feitos através de malwares e ransomwares.

Das corporações que sofrem perdas de dados vitais para sua operação e não possuem um plano de contingência que dê a garantia da continuidade de suas operações, 43% delas nunca reabrem e 51% delas fecham em um período de 3 anos.

Podemos listar desastres naturais que comprometem data centers e até mesmo falhas humanas, como no ano de 1998, quando um erro de um funcionário fez com que 90% do filme Toy Story 2 fosse deletado, colocando mais de um ano de trabalho no lixo.  

Além dos enormes prejuízos financeiros, a perda de dados gera atrasos na operação empresarial, fazendo com que a empresa perca agilidade e rapidez em mercados competitivos, atrasos no atendimento a clientes, interrupção em novas oportunidades de negócio e atrasando projetos em desenvolvimento.

E o que é o conceito Disaster Recovery as a Service (DRaaS)?

O DRaaS é uma tecnologia de segurança que proporciona a garantia de operação de uma empresa, mesmo em situações de crise.

A lógica do conceito consiste em replicar sistemas, dados e servidores, tanto físicos quanto digitais em um ambiente locado fora da empresa, totalmente seguro e digital. A locação garante que os dados possam ser acessados a qualquer momento, mesmo que o processo de recuperação de dados após um desastre esteja em andamento.

Isso possibilita que a empresa tenha controle de riscos, reduzindo danos com paralisações de sistema e operando normalmente mesmo após o desastre.

Como o DRaaS funciona

A contratação de um serviço DRaaS funciona com base na quantidade de servidores a serem espelhados e no espaço de armazenamento que será utilizado. O valor altera de acordo com a necessidade de cada empresa e muda apenas quando é realmente utilizado.

Em uma situação de emergência, onde o data center de uma empresa fica inoperante por algumas horas, por exemplo.

A lógica do conceito consiste em replicar sistemas, dados e servidores, tanto físicos quanto digitais em um ambiente locado fora da empresa, totalmente seguro e digital. A locação garante que os dados possam ser acessados a qualquer momento, mesmo que o processo de recuperação de dados após um desastre esteja em andamento.

Em casos de desastre, o DRaaS é um plano de contingência, que assume as operações da empresa no momento do incidente. A principal vantagem deste modelo de proteção é sua redundância, que permite que mesmo em cenários de crise as empresas parem sua operação e tenham prejuízos financeiros.

Principais vantagens do DRaaS

Além dos benefícios em relação à segurança e autonomia que a corporação tem disponível para dar vazão e continuidade às suas operações mesmo em cenários caóticos, as facilidades do sistema são diversas. Algumas delas:

Segurança:

O maior benefício é a segurança. O sistema possibilita a criptografia dos dados em trânsito e repouso, dando autonomia ao time de TI na recuperação de dados.

Em casos de crise, é possível recuperar a operação em minutos.

Simples implementação:

Nos últimos anos, com a popularização da solução e consequentemente investimentos no desenvolvimento do DR, é possível implementar o plano de contenção de forma rápida e barata.

Além disso, sua configuração é IT-Friendly, evitando a utilização de outro software específico e possibilitando a configuração em poucos minutos.

Redução de custos:

Como o sistema funciona “as a service”, o custo fica menor, possibilitando que os custos da operação sejam totalmente previsíveis e mensuráveis.

Resposta rápida em casos de desastre:

Como o sistema se encontra em um ambiente seguro e totalmente digital, é possível retornar a operação de 15 minutos a até 24h, dependendo do RPO (Recovery Point Objetive).

Assim, a empresa não se compromete em relação a clientes e parceiros, evitando prejuízos financeiros.

Flexibilidade:

O DRaaS oferece às empresas uma variedade de escopos para recuperação, dependendo da natureza e gravidade do desastre e das necessidades de proteção e segurança da corporação.

 

Como saber se o DRaaS é o caminho certo para a sua empresa.

Para adotar o DRaaS, é preciso que a empresa tenha o real entendimento do que é o sistema e se faz sentido replicar seus dados em ambiente virtual.

Vale dizer que independente do tamanho ou mercado, todas as empresas que têm aplicações digitais e utilizam infraestruturas de TI, correm riscos todos os dias.

As vantagens em relação ao modelo se dão pelo fato da empresa não necessitar reconstruir seus sistemas.

Além disso, é preciso que antes da adoção de uma estratégia DRaaS é imprescindível que a equipe de TI entenda as necessidades, listando encargos necessários e os objetivos dos serviços de contingência.

Assim é possível escolher o fornecedor certo, determinante para o sucesso da operação, garantindo resultados positivos na manutenção e monitoramento do sistema a curto, médio e longo prazo.

Saiba mais sobre o DRaaS e entenda se essa solução realmente faz sentido para o seu negócio! Baixe agora nosso E-book

 

Denis Souza

Analista de Produtos no UOL DIVEO, especialista em segurança de dados. Formação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal da Paraíba, com experiência de mais de 17 anos na área de tecnologia da informação, sendo destes 9 anos como Engenheiro de Redes de Computadores e 4 anos aplicados como Arquiteto de Solução para ambientes Data Center.