Como contratar os serviços certos para a nuvem?

Sempre que um tema ganha popularidade, traz consigo também suas distorções. Discursos parecidos, ofertas similares, players surgindo a todo momento, mas na prática é preciso compreender a importância de se encontrar um parceiro confiável para que sua experiência seja a mais tranquila possível.

 

A computação em nuvem atua na espinha dorsal do negócio. Traz consigo números de grande envergadura. Um levantamento da consultoria IDC apontou que dois terços das empresas globais já utilizam cloud computing e que tais serviços devem movimentar US$ 43,6 bilhões até 2020.

 

Não há mais como fugir!

 

É justamente pela popularidade do tema que grande parte das companhias ainda estão receosas sobre quais serviços podem ser colocados em cloud computing. Assim, muitas vezes, deixam de dar uma chance à tecnologia por questões de confiança na segurança das informações, performance, disponibilidade e a incerteza nos modelos com custos variáveis (que costumam ser flexíveis, de acordo com a utilização).

 

Ocorre também o contrário: algumas empresas, por impulso, migram muitas aplicações para a nuvem de uma só vez, sem o devido planejamento.

 

Se você tem dúvidas sobre quais serviços podem funcionar em cloud computing, vamos esclarecer a seguir:

 

1. Infraestrutura como serviço (IaaS)

Conhecidos como IaaS, os serviços de infraestrutura em nuvem são os que mais crescem no mundo. Quer ver um dado surpreendente? De acordo com o Gartner a infraestrutura de serviço foi responsável por 38,4% do faturamento total no mercado de cloud computing em 2016.

 

2. Plataforma como serviço (PaaS)

Esse é o modelo menos conhecido de cloud computing.  A PaaS fornece a infraestrutura necessária para que os desenvolvedores de software construam novos aplicativos ou aumentem as funcionalidades de soluções já existentes. Esse modelo é atrativo para empresas que precisam criar aplicativos customizados, e também para os desenvolvedores de software e empresas que vendem soluções para nichos específicos.

 

3. Software como serviço (SaaS)

Permite definir um modelo no qual os softwares são mantidos por um fornecedor. Dessa forma, os clientes podem usar a aplicação sem que TI precise se preocupar com infraestrutura, banco de dados, middleware, etc.

Tenha em mente que seja lá qual for o serviço de cloud computing contratado, todos os modelos tem benefícios. Essa é a principal dica para que os resultados do seu projeto em cloud computing mantenham alta performance e contribuam para a produtividade da companhia.

 

UOLDIVEO