Sua TI está preparada para se transformar em TN?

A transformação digital enfrentada pelas companhias traz à tona um novo desafio: fazer com que a TI se torne TN, ou seja, Tecnologia de Negócios.

 

Embora o termo seja relativamente novo, essa sigla decorre de uma longa evolução tecnológica que leva o mercado a compreender como a tecnologia pode incrementar os resultados de grandes companhias.

 

Algumas delas já estão realizando a migração para esse nível na prática, utilizando conhecimento para apoiar o negócio e fazendo interface não apenas com o usuário, mas com toda a empresa.

 

TI como apoiadora do negócio como um todo

O desafio é grande. Abraçar a transformação digital significa que a área de TI deve conversar de igual para igual com as demais áreas. Se avaliarmos o nível dos sistemas e informações utilizados versus o que existe para a TI e traçarmos um paralelo, seria o mesmo que dizer que a TI está vivendo na época das planilhas, enquanto o negócio vive a era do Business Intelligence.

 

No alto escalão das companhias, as reflexões envolvem discussões estratégicas. De acordo com um estudo do Gartner, 80% dos CEOs têm iniciativas de modelos de negócios digitais, porém 70% deles têm um líder digital, sendo 20% deles CIOs. Dentro desse contexto, 40% dos CEOs acham que os CIOs têm habilidades para ser o líder digital, e 10% dos CEOS mencionam o CIO como fonte primária de informação.

 

Transformar a TI em TN significa contar com uma tecnologia totalmente voltada ao “core business” da empresa, permitindo que a informação evolua para conhecimento e, consequentemente, para o aumento das vendas e melhorias de processos com foco nos lucros. Isso gerará ainda mais valor para a área.

 

Negócios digitais

Um levantamento do IDC apontou que 83% das empresas já usa ou pretende usar um ambiente de nuvem híbrida. Cerca de 73% delas concordam que um modelo de nuvem híbrida cria uma caminho para os negócios digitais. Ainda segundo a pesquisa, a transformação digital proporcionada pelas nuvens híbridas ajuda as organizações a melhorarem a agilidade da TI e ainda transformam as iniciativas de implementação do negócio digital em um processo mais rápido, fácil e econômico.

 

As empresas que desenvolverem uma capacidade digital plena, abrangendo desde a concepção e o desenvolvimento, até a implementação e o gerenciamento das soluções, são aquelas que vão se sobressair nos próximos anos. Elas terão mais condições de evoluir seus negócios digitais continuamente, com agilidade, além de oferecer níveis elevados de sofisticação e escala.  

 

Com o apoio da computação em nuvem, os serviços digitais serão mais ágeis e disponíveis sob demanda. Assim será mais simples automatizá-los e personalizá-los para promover melhores experiências aos clientes.

 

A migração para a nuvem nos tempos atuais é um movimento quase inevitável às empresas de todos os segmentos. Algumas delas ainda estão descobrindo as melhores formas de fazer essa migração; outras já erraram e estão buscando melhorar. Esses são apenas o primeiro passo para que a tecnologia seja finalmente vista como fundamental para os negócios.

 

UOLDIVEO

 

O Office 365 não é só E-mail, veja guia completo para contratação.

 

 

 

 

Muita gente ainda não conhece todo ecossistema do Office 365

guia

Como eu disse o Office 365 não é só e-mail.

Eu vou fazer um overview do ecossistema que tem só aumentado.

Se você pensa em uma ferramenta de colaboração completa não pense em outra. O Office 365 é definitivamente completo.

Considero a ferramenta sem concorrência devido sua capilaridade atingida durante seu vasto desenvolvimento.

AD AZURE

Quando você acessa o Portal do Office 365 para utilizar seus serviços é o AD Azure que provê a autenticação.

Para acessar basta acessar https://manage.windowsazure.com que você terá o acesso ao seu AD Azure do Office 365.

Sim se você tiver Windows 10 em sua rede e não tem estrutura de Active Directory dentro de sua empresa e já tem serviço contrato de Office 365, pode usar seu Windows 10 para se autenticar no Azure AD do Office 365.

Veja como se autenticar no Windows 10.

É uma grande alternativa para sua jornada na nuvem e ter controle de acesso.

O Azure AD foi feito para controle de APP, por isso ele não tem função de GPO. Mas o uso dos 2 Active Directory on-premissess e o Azure AD são imbatíveis.

O Adconnect é uma solução híbrida onde faz a ponte de sincronismo entre on-premisses e nuvem ou nuvem e on-premissess. Se você quer ter um único logon para O Office 365, AD e autenticação de máquinas é um caminho saudável com Azure AD, Windows 10 e Office 365.

Veja como é a arquitetura do ambiente:

Está é uma visão geral por onde você poderia utilizar o Office 365.

Mas não é só isso.

Quais as ferramentas que o Ecosistema Office 365 tem?

O Exchange Online é o Serviço de e-mail do Office 365, ele lhe entrega o Outlook Web App (OWA) conhecido no mundo técnico onde você terá os acessos aos seus e-mail através do Navegador Web, através do Microsoft Outlook e outros clientes de e-mails.

Os protocolos usados são:

MAPI, ActiveSync, IMAP, POP

Yammer é a ferramenta de colaboração social corporativa que pode lhe proporcionar uma interação com os funcionários e colaboradores com mais eficiência. Uma integração com o Sharepoint que logo falarei abaixo pode dar uma agilidade dentro da corporação imensa diminuíndo o fluxo de e-mails.

O Onedrive é um dos melhores players de armazenamento pessoal e compartilhador de dados do mundo. Eu dou o apelido a ele de “Meus Documentos” da nuvem pois 1TB (um Terabyte) de dados para armazenar é um tamanho grande sem reclamação de espaço.
Deu problema no seu Notebook, na sua Workstation, pode trocar e ir para mesa do lado usar que seus dados estão todos no Onedrive garantindo a sua própria produtividade.

O Planner é a ferramenta de tarefas e projetos que você queria dentro do Office 365. Com ela você pode criar tarefas, projetos e compartilhar entre várias equipes o andamento de um projeto ou tarefa.
Ele tem uma dashboard onde você ou seu superior podem acompanhar o andamento e interagir, como também acompanhar os prazos e entregas. Além de integrar com Sharepoint e calendário melhorando a produtividade.

PowerBI é umas das ferramentas que eu mais gosto no Office 365, pois ela proporciona a montagem de vários tipos de relatórios com vários conectores de banco de dados e outros conectores, proporcionando a equipe ou tomadores de decisões a melhora de eficiência dentro de uma organização. Não é só conectores MICROSOFT, ele tem vários conectores com ferramentas de mercado, como o banco de dados Mysql, Oracle, Sybase dentre outras.

O Delve é uma ferramenta que proporciona onde mais você atuou dentro do Office 365, mostrando a sua interatividade com a ferramenta e ainda a sua interação com os colaboradores da empresa.
Ele realmente ajuda onde você mais atuou dentro de um documento, com quem interagiu e lhe da projeção melhor das suas atuações. Eu digo que é um BI (Business Inteligence) pessoal.

Office vídeo proporciona uma interação melhor para com os colaboradores da empresa com uma segurança maior e controle dos vídeos. Uma apresentação em vídeo, um curso online como E-learning. Como uma palavra importante de um gestor, com um controle melhor do vídeo através de desktop, notebook e devices como celulares e tablets. Assim seu colaborador não pode reclamar que não viu o vídeo ou a palavra de alguém importante dentro da corporação.

Sem sombra de dúvida o Office 365 não é o mesmo sem estas 3 ferramentas que revolucionaram e ainda revoluciona todas corporações de mercado. O Word, Excel e PowerPoint eram peças-chave para o Office 365. Além do on-premisses temos o Office online que lhe proporciona praticamente o que você usa on-premisses. Principalmente para quem trabalha em linhas de PDV, balcão, representação de vendas e quiosques são sensacionais neste quesito. Além da qualidade de sempre.

O OneNote é pra mim a evolução dos chamados NOTEPADS. Ele sim é relamente um multiplataforma de anotações. Se você tem o hábito de anotar tudo, substitua seu caderninho e canetinha por ele. Pois você tem acesso de qualquer lugar com o Office 365. Anotou na reunião, chegou na empresa acesse pelo Desktop e passe para o Word suas anotações. Faz uma diferença enorme e não tem desculpa pois todos os celulares, tablets tem o APP e ainda fora do Office 365 no pacote do Outlook.com. Torne ele um hábito, pois ele substitui o caderninho de anotações totalmente.

O Skype for business é um dos melhores comunicadores, e um dos mais completos pois juntou as facilidades do Skype Consummer com as integrações do Lync formando o Skype for Business, realmente a ferramenta é completa. Além do uso em reuniões, conferências, e-learnings e muito mais ela integra com vários PABX de mercado. Realmente este tipo de integração é difícil ver em outras ferramentas.

Deixei o SharePoint por último, pois eu acredito que seja a ferramenta que faz o Office ficar completo. Se você tem um File Server em sua rede e você gostaria de migrar para a nuvem o SharePoint é umas das ferramentas mais completas em termos de controle de documento, biblioteca de arquivos e Workflow de processos internos. Eu pessoalmente uso o SharePoint para meus pequenos laboratórios, worflows , controle, versionamento de documentos e projetos.

Preciso de todos estes serviços? Ou melhor inicialmente preciso contratar todos estes serviços?

Dependendo do tamanho de sua empresa ou uso de processos internos, certamente você não usará todos estes serviços, mas abaixo mostrarei como você pode contratar desde um só serviço ou a suite completa.

Planos quiosques

Os planos quiosques são aqueles planos contratados que abrange uma só ferramenta como:


Os planos Exchange Online visam pequenos clientes que estão insatisfeitos com seus provedores que não entregam um bom serviços e empresa que trabalham muito com colaboradores moveis. Eu recomendo em relação aos provedores de serviços que não tem uma interface rica como do Exchange Online que é praticamente um Outlook on-premisses.

Veja neste link as informações do Exchange plano quiosque. Clique aqui.

Os planos quiosques também abrangem a contratação só do Skype para uso corporativo e integração com seu PABX ou o uso dele como PABX online. Clique aqui para ver os planos e informações técnicas do Skype for business.

Informações de preços

O SharePoint Online também oferece planos individuais no caso do cliente quiser também contratar separadamente. Tem 2 planos P1 e P2 com variações técnicas. Veja aqui os planos.

Planos Completos Office 365

O Office 365 oferece planos domésticos, planos para pequenas empresas e planos para corporações chamados Enterprise.

Os planos têm variações de serviços e variações técnicas como funcionalidade e backup de dados.

Vamos lá começaremos com planos que está direcionado para uso doméstico.

PLANO DOMÉSTICO

Este plano abrange consultores estudantes que querem usar a ferramenta com uma suíte praticamente completa. Eles oferecem além do Office, o Office Online que geralmente tem um contrato com pagamento mensal, mas com um contrato de 1 ano.

É a porta de entrada para quem quer conhecer a ferramenta. Clique aqui e veja informações técnicas e preços.

Este plano já garante o backup dos seus dados por 30 dias e recuperação por 14dias direto do usuário sem precisar de suporte para Onedrive, SharePoint e Exchange Online.

PLANO PARA PEQUENAS EMPRESAS


Como na imagem acima os planos para empresa garantem até 300 usuários nos 3 planos. Eles variam com o uso pagando mensalmente ou pagamento mensal com contrato de 1 ano.

Estes planos além da compra direto do site tem os planos mais baratos para compra com um parceiro Microsoft.

Os planos com o parceiro você pode comprar com plano CSP, MPSA.

Link para entendimento com CSP (Cloud Solution Provider) https://partner.microsoft.com/pt-BR/cloud-solution-provider

Link para entendimento com MPSA (Microsoft Product Service Agreement) https://partner.microsoft.com/pt-br/licensing/volume-licensing-programs#Licensing_Volume_Licensing_Programs_Rich_Text_Componentold3

Link com os planos para pequenas empresas até 300 usuários.

https://products.office.com/pt-br/business/compare-office-365-for-business-plans

PLANOS ENTERPRISE

Estes planos são os planos completos que entregam praticamente todos os serviços do Office 365.

O Office Enterprise E1 é o plano de entrada das empresas que querem usar todos os recursos online do Office 365 menos o Office instalado. Ele abrange todos os produtos online com diferenças técnicas em funcionalidade de vídeo do Skype, de backup do SharePoint e Exchange Online.

Eu darei um mapa de funcionalidades técnicas neste post abaixo

O Office E3 é o que a maioria das corporações usam com os serviços online com office instalado proporcionando uma interação onpremisses com o melhor do online.
A retenção de dados é de 14 dias com recuperação própria do usuário e pós 14 dias com a equipe que administra o Office 365. O Sharepoint também proporciona os 14 dias de recuperação, com 90 dias de retenção dos dados além de suporte com backup e suporte da Microsoft.

O plano é tudo que uma corporação precisa para utilizar ambiente de comunicação, interação e produtividade com integração com PABX e PABX online. Além de todos os recursos e compliance de segurança que o Office 365 oferece.

SEGURANÇA

O Office 365 oferece segurança completa e varias certificações de mercado dando confiança para quem está contratando.

Veja: https://technet.microsoft.com/pt-br/library/office-365-compliance.aspx

SERVIÇCO DE SEGURANÇA RMS

O Serviço RMS proporciona segurança nos dados utilizando o Office 365, ele permite que os dados sejam acessados por autenticação do AD Azure. Caso o usuário copie para fora da organização o documento só poderá ser lido ou visualizado através de autenticação.

Veja link: https://support.office.com/pt-br/article/Ativar-o-gerenciamento-de-direitos-RMS-no-centro-de-administra%c3%a7%c3%a3o-do-Office-365-5b6d3ac7-b1ac-428e-b03e-50e882f85a6e?ui=pt-BR&rs=pt-BR&ad=BR

SERVIÇO IRM PARA SHAREPOINT

O IRM (Gerenciamento de direitos) garante uma auditoria e versionamento de dados garantindo a mobilidade com segurança dos dados. Hoje você não proíbe acesso, você controla o acesso.

Veja link com informação mais técnica: https://support.office.com/pt-br/article/Configurar-o-IRM-Gerenciamento-de-Direitos-de-Informa%c3%a7%c3%a3o-no-centro-de-administra%c3%a7%c3%a3o-do-SharePoint-239CE6EB-4E81-42DB-BF86-A01362FED65C?ui=pt-BR&rs=pt-BR&ad=BR

DESCOBERTA IN LOCO (backup e auditoria do Exchange Online)

https://fabiosilva.com.br/2016/04/20/ativando-descoberta-in-loco-backup-office-365-parte-i/

Para quem utiliza Office 365 para ambientes MAC os planos que abrange Office instalado como planos domésticos, planos Business, Premium para pequenas empresas e os planos Enterprise E3 e E5.

Para ambientes Linux além de você utilizar os serviços de e-mail com os clientes que utilizam POP e IMAP, o acesso via web é uma das alternativas.

O Cliente Evolution é um cliente que tem compatibilidade com protocolo MAPI, mas não testei no Office 365 (Exchange Online), só no Exchange on-premissess que funcionou muito bem.

Veja link com a configuração https://www.linux.com/learn/use-evolution-connect-microsoft-exchange-linux

Os planos governamentais vide link https://products.office.com/pt-br/government/compare-office-365-government-plans

Além de nem precisar falar, mas reforçando que dispensa comentários em dispositivos móveis como IOS, ANDROID e Windows Phone.

Espero que tenha proporcionadoum Guia completo na contratação dos serviços do Office 365!

No próximo post eu falarei sobre o EMS que abrange uma gama maior de produtos que envolve Office 365 e Azure.

Postem, compartilhem e deem opiniões.

 

Abraços

Arquitetura em Micro serviços uma nova abordagem para aplicações.

Com a evolução rápida da tecnologia e a transformação digital, as áreas de negócio passaram a exigir maior velocidade na área de TI. A lógica das aplicações determinadas pela abordagem das “3” camadas “back-end”, “negócios” e a interface de “front-end” está passando por uma nova revisão. Essa revisão que chamo de nova abordagem são que as aplicações construídas pelos desenvolvedores estão sendo construídas e distribuídas para a nuvem, impulsionado pela direção do negócio.

A abordagem atual dos negócios são:

 

  • Aplicação deve ser construída e operar em serviços de escala, a fim de atingir a todos em todos os lugares que requisitado pelo negócio.
  • Recursos devem ser capazes de responder às demandas, assim como, a capacidade deve suportar as solicitações de muito clientes. J
  • Utilização de recursos de forma a produzir reduções de custos devido a inteligência da aplicação.

 

A realidade dos negócios apresenta aos desenvolvedores a adotar um modelo de arquitetura chamada de “Micro serviços” termo popularizado James Lewis e Martin Fowler (http://martinfowler.com/articles/microservices.html)

Para entendermos a nova abordagem é necessário compreender a evolução da TI pela ótica do desenvolvimento de aplicações. Você já deve ter ouvido de muitas empresas que para crescer basta inserir mais hardware para aplicação suportar, e isso foi por muitas décadas a realidade da gestão de TI nas empresas, pois a  aplicação neste momento seria orientada pelo back-end devido a ineficiência e limitação da infraestrutura que criava uma forte dependência (acoplamento) entre os serviços de aplicação, isto é, componentes não relacionados dentro das camadas. Por anos essa abordagem que chamamos de “aplicação monolítica” conseguia entregar de forma ágil a entrega de hardware a velocidade que o negócio requisitava, mesmo hoje, ainda existam aplicações com essa abordagem e não devem ser descartas devido aos requisitos de negócio.

Com a evolução da TI para o cloud computing e com isso os requisitos de agilidade, confiabilidade e escala do negócio promoveu ao desenvolvimento  de aplicações o rompimento das limitações de hardware no passado. O micro serviço é um conjunto finito de requisito funcionais que determinado pela arquitetura possa trazer independência, agilidade e funcionalidades que ora separadas possam unificar e implementar uma única função. Ao contrário da aplicação monolítica, que promovem abundância de recursos de infraestrutura, as aplicações em micro serviços promove inteligência ao sabiamente realocar recursos e serviços para as determinadas tarefas cotidianas do negócio.

Enfim, com a mudança do modelo monolítico para o micro serviços muda bastante a velocidade no nosso modo de pensar. Agora podemos ter equipes especializadas naquele conjunto de funcionalidades de negócio, que passarão a tratar o serviço não como um mero componente, mas sim um produto, com ciclo de vida independente, escalável e mais próximo do negócio.

 

Abs.

Luiz Eduardo.

Desculpe o transtorno, precisamos falar sobre as mulheres

No UOL e UOLDIVEO ocorrem num ciclo trimestral as conferências Tech Day, onde os profissionais tem oportunidade de falar para toda a companhia sobre os trabalhos desenvolvidos por suas equipes e suas contribuições, ou sobre assuntos diversos de tecnologia dos quais eles estejam se dedicando e que acreditem que traga valor aos colegas de trabalho. É sempre uma experiência maravilhosa de troca.

No último, ocorrido em Julho, uma palestra especial me chamou a atenção – ela falava especificamente em Internet para todos – abordando UX para deficientes visuais. Frequentadora assídua de conferencias de tecnologia, um dado que fica evidente é que temas como diversidade e inclusão, no geral, são temas abordados pelos grupos femininos de desenvolvimento.

Luiza Helena Trajano (Magazine Luiza) abre o prefácio de “Faça Acontecer, Mulheres, Trabalho e a Vontade de liderar” da Sheryl Sandberg (Facebook) com um foco especial sobre o momento da economia contemporânea, onde a capacidade de ensinar, interagir, aprender, educar, relacionar-se e trabalhar em equipe são fundamentais, como o momento de maior valor para liderança feminina.

Mulheres são educadas e cobradas, desde cedo por capacidades como empatia e responsabilidade. São muito mais incentivadas a falarem sobre seus sentimentos e problemas, os que as tornam muito mais receptivas e compreensivas com os problemas alheios.

A verdade é que a convergência digital traz um desafio gigante de olhar para os mercados não explorados, a inserção de grupos que hoje não fazem parte do olhar estratégico do mercado como um todo e sim de nichos específicios. O reposicionamento de produtos e o desenvolvimento de uma gama deles para os quais ainda não existem demanda. Isso requer um poder criativo que dificilmente virá de grupos homogêneos. A diversidade é a chave para a criatividade.

Em biologia, através do principio de Hardy Weinberg, é possível checar que a evolução genética depende de um fator que altere os alelos do DNA, através de uma grande população e a interação entre os indivíduos diversos. Se as interações satifizesse certas condições, as frequências dos alelos permaneceria inalteradas ao longo das gerações. A analogia com a criatividade é extremamente simétrica, dado que indivíduos que possuem formações semelhantes, que consumam o mesmo tipo de cultura, e frequente os mesmos lugares, irá certamente olhar de uma forma muito similar para problemas diversos. A criatividade nasce da diversidade e espaço para a interação de indivíduos diversos. Isto se reflete na forma como plataformas de Open Creativity tem se alastrado fortemente, e como programas de diversidade estão presentes em quase todas as gigantes do vale do Silício, pois trata-se não só da coisa certa a se fazer (do ponto de vista ético e moral), mas também a coisa esperta a se fazer. Ambientes com mulheres em posições de alta liderança possui um ROI 35% mais alto que empresas que só possuem homens na liderança de acordo com a lista da 500 Fortunes, elas também são consideradas os melhores lugares para se trabalhar.

Mas por que, dado todas essas informações é tão difícil alavancar a participação feminina nas altas lideranças?

Acredito que não existe uma resposta única para uma pergunta tão complexa. Existem os fatores sociais, os fatores legais e os culturais.

Uma empresa que queira abraçar a diversidade deve garantir que as mulheres tenham espaço reservado a mesa de discussão, que tenham suas vozes ouvidas, contabilizadas. Abraçar as diferentes visões sobre um mesmo problema e partir do principio que não há formulas mágicas e caminhos prontos para que a magia aconteça. Mas deve haver um programa que fomente a participação feminina, que estejam abertos a aprender com elas o novo jeito de liderar, de falar sobre os problemas e como solucioná-lo. Da mesma forma que cabe à elas aprenderem a tomar a frente, assumir riscos, expor as opiniões sem o medo de errar, do julgamento, coisas que os homens fazem desde sempre.

UOLDIVEO promove encontro de gerações de mulheres em TI
UOLDIVEO promove encontro de gerações de mulheres em TI

Campanhas como o He for She vem fazendo um excelente trabalho e propondo o diálogo transversal sobre a necessidade das mulheres neste novo momento rumo à equidade de gêneros. Dentro das companhias os outros 50% da população necessitam se sentirem representados pelo Mercado, já que esses outros 50% são responsáveis diretamente por $20 trilhões de dólares do consumo anual global, e aumentará para $28 trilhões nos próximos cinco anos. Além de ter influencia em boa parte dos consumos indiretos.

Há muito espaço para a troca e aprendizado dentro das companhias, em quaisquer seguimentos de atuação. E os espaços que se abrem para que esse processo evolutivo das companhias ocorram já garantem o seu lugar ao sol.

Abraços e até o próximo post.

Ana Luca Diegues

Fontes:

http://fortune.com/2015/03/03/women-led-companies-perform-three-times-better-than-the-sp-500/

http://www.forbes.com/sites/bridgetbrennan/2015/01/21/top-10-things-everyone-should-know-about-women-consumers/#7cd3c6d52897

http://h20435.www2.hp.com/t5/HP-Labs-Blog/The-HP-Weigh-Diversity-and-the-Hardy-Weinberg-Principle/ba-p/295220#.WAUJBPkrLIU

http://www.mckinsey.com/global-themes/employment-and-growth/how-advancing-womens-equality-can-add-12-trillion-to-global-growth

 

 

 

 

Indisponibilidade de aplicações: Qual é o prejuízo para a sua empresa?

Passei alguns anos da minha carreira construindo projetos em ambiente de Data Center requisitados por diversas empresas de setores industriais distintos e muitas vezes percebi que o tema indisponibilidade e seus efeitos para o negócio como um todo não eram abordados com o aprofundamento necessário ou eram esquecidos ao se “espremer” por redução de custos. Lembro que em muitas reuniões tive que revelar este tema e perceber que era tratado com certa surpresa.

Se observarmos o relatório publicado pela Veeam (2016 Veeam Availability Report) feito com 1.140 tomadores de decisão de TI de 24 países, veremos claramente que as necessidades da corporação estão bem distantes de serem atendidas, e que as empresas de uma forma mais macro, precisam fazer da disponibilidade uma prioridade estratégica ou estarão arriscando a perda de até 16 milhões de dólares por ano em receita. Para ficar mais claro, vamos comparar os dados de 2014 com as informações obtidas em 2016:

  • O tempo de inatividade anual não planejado foi elevado:
    • 1,4 a 1,9 hora para aplicações essenciais.
    • 4 a 5,8 horas para aplicações não essenciais.
    • O número médio de eventos aumentou (de 13 para 15 eventos).
  • O custo médio anual do tempo de inatividade para uma organização pode chegar até US$ 16 milhões (US$ 6 milhões a mais que 2014).

É sempre importante destacar que o preço de uma indisponibilidade para um ambiente de produção pode ser mais impactante do que se pode imaginar. Observe a figura seguinte:

 

blog56546

 

Veja que mais da metade dos entrevistados (68%) revela que a confiança na organização pode ser afetada e 62% afirma que a confiança na marca pode sofrer danos. Os dados revelam que foram notadas quedas nos preços das ações, juntamente com a presença de processos judiciais. São dados que precisam e devem ser levados em consideração.

Imaginemos este acontecimento em empresas que operam com bolsa de valores ou com compras pela internet. É inaceitável imaginar que os consumidores de hoje aceitariam esperar 1 minuto para um site retornar ao funcionamento com o objetivo de concluir a sua compra. Questionar suas instituições se estão à altura deste desafio é uma tarefa que todos os líderes de negócio deveriam fazer.

Outro ponto importante para ser avaliado está centrado na causa do e nos efeitos do temido downtime (quedas funcionais) de uma aplicação. Quase metade dos entrevistados (48%) reportaram que suas organizações tiveram repetitivas experiências com quedas causadas pelo uso de upgrades na aplicação ou problemas gerados por correções feitas no sistema operacional. Aqui vale o questionamento: onde estão os ambientes para homologação e onde estão as metodologias para aplicação das correções em ambientes com cluster balanceados por cargas de trabalho?

Observe que a presença de um balanceamento de cargas é um importante aliado para corrigir um grupo de aplicações que apresentou algum tipo de problema. Outro elemento importantíssimo é o teste de backup. Somente 41% dos entrevistados afirmaram que usam seus backups como parte dos testes de recuperação e ainda assim, este backup possui uma recuperação em dias relativamente pequena. No Brasil, a média foi de 11 dias de dados recuperados por mês, na Alemanha 12 dias e na Itália 14.

Para concluir, é importante termos em mente que o desenho de qualquer projeto, seja ele físico ou virtual, deve considerar a sobrevivência da aplicação mesmo em condições de falhas. Claro que o desafio é sempre alinhar custos com perdas financeiras causadas pela ausência funcional da aplicação. Acredito que os números apresentados pela Veeam mostram que existe um longo caminho a ser trilhado, mas que existe solução se pensarmos estrategicamente com cuidado.

 

Denis Souza

 

Links indicados:

https://go.veeam.com/2016-availability-report-latam-br.html

http://convergecom.com.br/tiinside/home/internet/19/02/2016/indisponibilidade-de-aplicacoes-gera-prejuizo-de-us-16-milhoes-por-ano-as-empresas/

http://computerworld.com.br/brasileiras-perdem-us-18-milhoes-com-indisponibilidade-de-aplicacoes

A criação de uma empresa: Multicloud UOLDIVEO

Na nossa visão, Cloud viabilizou a evolução de várias tecnologias que só víamos nos filmes de ficção científica.

A IOT (Internet Of Things) e o Bigdata só se tornarão de fato realidade por causa da Cloud (coloco o verbo no futuro, pois acredito que muitas coisas ainda terão de acontecer).

Sem resolvermos como podemos armazenar tanta informação ou mesmo manipulá-las, muitas vezes em tempo real, não seria possível ingressarmos nesse mundo novo. Isso tudo só seria possível se adotássemos uma solução em Cloud, que na prática otimiza de tal forma a infraestrutura que a torna muito mais eficiente e dinâmica.

Sem contar as vantagens comerciais em se poder contratar e pagar pelo uso – como é comumente divulgado na Cloud Pública. A Cloud Privada, por sua vez, pode ter certas customizações adequadas à certas aplicações. Já a Híbrida, como o próprio nome já diz, pode usar a pública e a privada dependendo da necessidade.

A analogia que usamos é que a Cloud pública é como uma piscina pública onde acolhe todo o tipo de visitante. Já a privada, são colocadas raias na piscina, tornando-a mais direcionada a um tipo de usuário que necessita, neste caso, de uma certa exclusividade. Enfim, mas muitas vezes é a mesma piscina.

A questão de segurança não é mais uma barreira na adoção de Cloud em qualquer de suas modalidades.

O UOLDIVEO trouxe para o Brasil um novo conceito de Cloud, muito difundido lá fora, que é a Multicloud.

Na Multicloud podemos utilizar a Cloud mais adequada às necessidades de determinadas aplicações. Costumamos afirmar que não existe uma Cloud que rode todas as aplicações, assim como não existem aplicações que rodem em todas as Clouds. Dessa discussão que surgiu a ideia de se trabalhar com todas elas.

Com essa orientação, adotamos nossa própria Cloud Privada com base na plataforma VMWare e Virtustream. Ambas empresas adquiridas recentemente pela Dell.

Na Cloud Pública, adotamos Openstack, com o conhecimento adquirido na aquisição da DualTec que já comentei, e também através de acordos estratégicos, com a AWS (Cloud da Amazon), Azure (Cloud da Microsoft) e Google Cloud.

A ideia é cada vez mais agregarmos os serviços de Integração e gerenciamento único de Cloud podendo auxiliar nossos clientes a irem para a jornada digital. Isso sem contar os demais serviços do UOLDIVEO que nesse blog tenho contado para vocês.

Realizamos no mês passado (22/09/2016) o maior evento de Multicloud no Brasil. Tivemos 4.300 inscritos e pelo menos umas 2 mil pessoas simultâneas no evento – 53% delas formadores de opinião – os chamados C-Level. Chamamos de Multicloud Summit, promovido pelo UOLDIVEO e com a presença inédita dos três maiores provedores de Cloud Pública palestrando num mesmo evento (AWS, Azure e Google Cloud). Isso, por si só, demonstra o interesse do público e dos players do mercado por esse tema que dominará as discussões daqui para a frente.

Até a próxima,

Gil Torquato

 

Você está preparado para os novos desafios da TI Bimodal?

Precisamos repensar no modelo de gestão tradicional porque não atende mais as necessidades e a velocidade que os negócios precisam.

O novo modelo é desafiador, imprevisível, clama por inovação e rapidez na entrega e claro, não podemos esquecer da excelência.

A TI tradicional, que visa estabilidade e segurança precisa coexistir com o modelo digital que exige agilidade e flexibilidade, agregando valor ao negócio seja ele de qual segmento for.

Neste cenário surge TI Bimodal, mas você sabe do que se trata?

Leia Mais