DevOps – Colaboração é a chave da questão

Em ambientes com cada vez mais necessidade de mudanças e atualizações constantes, os times de tecnologia enfrentam desafios entre a agilidade das entregas para atender demandas de negócios e a estabilidade dos ambientes operacionais.

A falta de cooperação entre os grupos de tecnologia resultam em conflitos e ineficiências e precisamos criar uma ponte entre as necessidades de desenvolvimento ágil e os requisitos técnicos dos ambientes de produção.

Um ponto importante da mudança de filosofia é acabar com os silos e a cultura do “finger point” e investir de forma séria em automação.

Ao buscar oportunidades para automação do ciclo de desenvolvimento e operações podemos olhar para itens como por exemplo:

  • Builds
  • Tenting
  • Monitoring
  • Deployments
  • System Configuration

A necessidade por simplificar processos entre os grupos e garantir a eficiências das entregas é pauta constante na agenda dos profissionais de tecnologia.

Normalmente todo fluxo de evolução de produtos e soluções dependem de tecnologia e sistemas complexos e com diversas partes dependentes, essa realidade introduz desafios de comunicação entre os times e deixa claro que para atender ao novo mundo precisamos de mudanças e novos modelos mentais.

Times de tecnologia devem ser cada vez mais responsáveis pelo sucesso dos seus grupos e ter o contexto claro do seu papel no sucesso dos negócios.

Todos os envolvidos existem por um motivo principal, viabilizar o negócio.

Velocidade no processo de entregas de novas funcionalidades e ambientes é uma necessidade e requisito básico para atingir os resultados, porém esse ponto não é mais importante que a segurança e a disponibilidade dos ambientes.

As mudanças não devem representar “incêndios” e dias intermináveis de crises e instabilidades.

Diminuir a distância entre os times que desenvolvem software e as equipes operacionais requer uma mudança de cultura. Uma abordagem muito mais colaborativa , com liberdade , times capacitados e grande responsabilidade.

Nessa cultura, a comunicação, transparência e as relações humanas são indispensáveis.

Para facilitar a vida dos times de desenvolvimento e operações existem diversas categorias de soluções que devem ser consideradas, entre elas podemos citar:

  • Source Control
  • Continuous Integration
  • Deployment
  • Cloud / Iaas / Paas
  • Monitoring & Data visualization
  • Database lifecycle management
  • Repository Management
  • Provisioning / Configuration Management
  • Release Management
  • Logging
  • Build
  • Testing
  • Containerization
  • Collaboration
  • Security

Diversas ferramentas também apoiam nessa jornada, entre elas:

Source Control

  • Git
  • GitHub

Continuous Integration

  • Jenkins
  • Continuum
  • Hudson

Deployment

  • Jenkins
  • Chef
  • Capistrano

Cloud / Iaas / Paas

Monitoring & Data visualization

  • Kibana
  • Graphite
  • Splunk
  • Nagios
  • Zabbix
  • Grafana
  • Elasticsearch

Database lifecycle management

  • DBmaestro
  • Datical
  • Liquibase

Repository Management

  • Artifactory
  • Nexus
  • Archiva
  • NuGet
  • npm
  • Docker Hub

Provisioning / Configuration Management

  • Chef
  • Ansible
  • Puppet
  • Consul

Release Management

  • Continuum

Logging

  • Splunk
  • Logstash
  • Graylog
  • Loggly

Build

  • Continuum
  • Maven
  • ANT
  • Hudson
  • Broccoli
  • Make

Testing

  • Cucumber
  • Selenium
  • Gatling
  • JUnit
  • TestNG
  • JMeter

Containerization

  • Docker
  • Kubernetes
  • Mesos
  • Linux Containers
  • Swarm
  • Marathon
  • OpenVZ

Collaboration

  • Jira
  • Trello
  • Slack
  • HipChat

Security

  • Snort
  • Cyberark
  • Tripwire
  • Fortify
  • Vault
  • SecureAssist

 

Tabela de DevOps

 

Um ponto fundamental dessa revolução é entender que não é apenas um conjunto de ferramentas é uma mudança de cultura , onde novas formas de trabalho são buscadas, testadas , discartadas ou adotadas.

reduzir custos infraestrutura

5 maneiras de avaliar se infraestrutura e operações estão drenando seu orçamento de TI

A redução nos custos é uma busca interminável na maioria das empresa, principalmente em tempos de crise.
O crescimento lento – e muitas vezes até a redução – dos orçamentos de TI, tem feito com que grande parte dele seja usado para manter os sistemas e a operação funcionando – limitando a agilidade das empresas.
É exatamente este cenário que tem imposto desafios para CIOs e gestores de TI, que agora precisam concentrar seus esforços em áreas que podem garantir redução de custos significativa para alocação em outras frentes antes sequer consideradas.

Para ajudar você, algumas perguntas devem ser feitas para avaliar oportunidades de otimização de custos:

1) Você conhece o custo total de aquisição (TCO) do seu ambiente?

TCO – Total cost of ownership – como o próprio termo diz, avaliar os custos totais de aquisição – diretos e indiretos – associados a um ativo durante seu ciclo de vida é a chave para identificar oportunidades de redução de custos e comparar o ambiente atual com outras alternativas.
Ele também é mais rápido e mais fácil de usar do que os custos reais vindos de relatórios financeiros, já que além de demorados, normalmente não permitem uma visão simplificada e detalhada o suficiente para uma adequada avaliação.

2) Você avalia constantemente o tempo de depreciação dos ativos de seu Data Center e estratégias alternativas disponíveis no mercado?

Estender a depreciação dos equipamentos pode parecer uma opção inteligente, mas de fato isto gera um custo maior de longo prazo.
A tecnologia de servidores evolui a cada ano, oferecendo maior performance, menor depreciação, redução no consumo de energia, etc. A redução do consumo de energia pelos novos equipamentos já permite justificar facilmente a decisão de investimento.
Outra alternativa é a opção por soluções de Cloud Computing, que hoje tem à disposição soluções específicas para cada característica de ambiente e aplicação.
Por exemplo, se sua empresa possui sistemas legados em ambientes depreciados, há nuvens que podem atender melhor este tipo de cenário.

3) Grande parte da infraestrutura e operação de data center ainda é mantida dentro da própria empresa?

De acordo com a consultoria Gartner, os custos de Infraestrutura e operações representam aproximadamente 70% do orçamento de TI de empresas de pequeno e médio porte, e aproximadamente 80% dos gastos em execução.

269300_0005

A recomendação da empresa é que Infraestrutura e operações seja o ponto focal para redução destes gastos.

Justamente neste ponto consideramos a utilização de serviços de Data Centers e Managed Service Providers (MSPs) uma opção para que empresas consigam o benefício da redução de custos, além de altos índices de qualidade e SLA na prestação de serviços.

4) Qual esforço está sendo colocado para reduzir os custos com Storage?

Para a maioria das empresas, o TCO de storage não vai diminuir dentro de três anos, porque o crescimento de armazenamento está superando o declínio no custo de armazenamento por Terabyte. Sem fortes estratégias de contenção de custos, o aumento no armazenamento pode consumir a economia de custos em outras áreas.

5) Você sabe exatamente onde e como Cloud Computing faz sentido em seu ambiente de Infraestrutura e operações?

Cloud muitas vezes entrega redução de custos, mas nem sempre. Por isso é importante entender onde e como Cloud Computing entrega valor. O ponto de partida é ter em consciência de que não há uma solução ou modelo de cloud que se adeque a qualquer necessidade de TI.

Há diversas soluções no mercado e cada uma delas entrega benefícios diferentes ao ambiente de TI das empresas – inclusive redução de custos.

Quando falamos em redução de custos, Disaster Recovery (DR), é um bom exemplo.
Eles são concebidos para serem usados somente como medida emergencial em situações bastante atípicas e por isso permanecem a maior parte do tempo ociosos.

Manter infraestrutura para suportar o plano de Disaster Recovery sem nuvem, depende de altos investimentos e de bastante tempo. Os custos com equipamentos são altos e normalmente os processos são realizados em localidades geográficas distintas. Caso sua empresa ainda não tenha utilize DR em Cloud, esta é uma boa oportunidade para redução de custos sem abrir mão de disponibilidade e segurança.

Por fim, outra forma de redução de custos está diretamente associada a um dos entraves mais críticos nos orçamentos de TI: a rigidez da contratação de infraestrutura tradicional, pouco variável conforme as necessidades do negócio e volatilidade de demanda.

Fonte:
Gartner, Ago 2014, Best Practices to Drive Cost and Value Optimization for Infrastructure and Operations.