5 maneiras de avaliar se infraestrutura e operações estão drenando seu orçamento de TI

A redução nos custos é uma busca interminável na maioria das empresa, principalmente em tempos de crise.
O crescimento lento – e muitas vezes até a redução – dos orçamentos de TI, tem feito com que grande parte dele seja usado para manter os sistemas e a operação funcionando – limitando a agilidade das empresas.
É exatamente este cenário que tem imposto desafios para CIOs e gestores de TI, que agora precisam concentrar seus esforços em áreas que podem garantir redução de custos significativa para alocação em outras frentes antes sequer consideradas.

Para ajudar você, algumas perguntas devem ser feitas para avaliar oportunidades de otimização de custos:

1) Você conhece o custo total de aquisição (TCO) do seu ambiente?

TCO – Total cost of ownership – como o próprio termo diz, avaliar os custos totais de aquisição – diretos e indiretos – associados a um ativo durante seu ciclo de vida é a chave para identificar oportunidades de redução de custos e comparar o ambiente atual com outras alternativas.
Ele também é mais rápido e mais fácil de usar do que os custos reais vindos de relatórios financeiros, já que além de demorados, normalmente não permitem uma visão simplificada e detalhada o suficiente para uma adequada avaliação.

2) Você avalia constantemente o tempo de depreciação dos ativos de seu Data Center e estratégias alternativas disponíveis no mercado?

Estender a depreciação dos equipamentos pode parecer uma opção inteligente, mas de fato isto gera um custo maior de longo prazo.
A tecnologia de servidores evolui a cada ano, oferecendo maior performance, menor depreciação, redução no consumo de energia, etc. A redução do consumo de energia pelos novos equipamentos já permite justificar facilmente a decisão de investimento.
Outra alternativa é a opção por soluções de Cloud Computing, que hoje tem à disposição soluções específicas para cada característica de ambiente e aplicação.
Por exemplo, se sua empresa possui sistemas legados em ambientes depreciados, há nuvens que podem atender melhor este tipo de cenário.

3) Grande parte da infraestrutura e operação de data center ainda é mantida dentro da própria empresa?

De acordo com a consultoria Gartner, os custos de Infraestrutura e operações representam aproximadamente 70% do orçamento de TI de empresas de pequeno e médio porte, e aproximadamente 80% dos gastos em execução.

269300_0005

A recomendação da empresa é que Infraestrutura e operações seja o ponto focal para redução destes gastos.

Justamente neste ponto consideramos a utilização de serviços de Data Centers e Managed Service Providers (MSPs) uma opção para que empresas consigam o benefício da redução de custos, além de altos índices de qualidade e SLA na prestação de serviços.

4) Qual esforço está sendo colocado para reduzir os custos com Storage?

Para a maioria das empresas, o TCO de storage não vai diminuir dentro de três anos, porque o crescimento de armazenamento está superando o declínio no custo de armazenamento por Terabyte. Sem fortes estratégias de contenção de custos, o aumento no armazenamento pode consumir a economia de custos em outras áreas.

5) Você sabe exatamente onde e como Cloud Computing faz sentido em seu ambiente de Infraestrutura e operações?

Cloud muitas vezes entrega redução de custos, mas nem sempre. Por isso é importante entender onde e como Cloud Computing entrega valor. O ponto de partida é ter em consciência de que não há uma solução ou modelo de cloud que se adeque a qualquer necessidade de TI.

Há diversas soluções no mercado e cada uma delas entrega benefícios diferentes ao ambiente de TI das empresas – inclusive redução de custos.

Quando falamos em redução de custos, Disaster Recovery (DR), é um bom exemplo.
Eles são concebidos para serem usados somente como medida emergencial em situações bastante atípicas e por isso permanecem a maior parte do tempo ociosos.

Manter infraestrutura para suportar o plano de Disaster Recovery sem nuvem, depende de altos investimentos e de bastante tempo. Os custos com equipamentos são altos e normalmente os processos são realizados em localidades geográficas distintas. Caso sua empresa ainda não tenha utilize DR em Cloud, esta é uma boa oportunidade para redução de custos sem abrir mão de disponibilidade e segurança.

Por fim, outra forma de redução de custos está diretamente associada a um dos entraves mais críticos nos orçamentos de TI: a rigidez da contratação de infraestrutura tradicional, pouco variável conforme as necessidades do negócio e volatilidade de demanda.

Fonte:
Gartner, Ago 2014, Best Practices to Drive Cost and Value Optimization for Infrastructure and Operations.

Multicloud: muito mais que infraestrutura

Computação multicloud representa uma nova fronteira para profissionais de TI.
multicloud pode ser considerada uma estratégia de uso concomitante de dois ou mais serviços de nuvem para minimizar o risco de perda de dados, tempo de inatividade, otimização de custos e principalmente adequação da nuvem certa para cada aplicação. Essa estratégia também pode melhorar o desempenho global da empresa, evitando “vendor lock-in” e usando diferentes infraestruturas para atender a diversos desafios.
Lembre-se, não existe uma nuvem que atenda todas as necessidades das aplicações e não são todas aplicações que se adaptam a qualquer nuvem.

É praticamente impossível para um provedor de nuvem suportar todas as necessidades das empresas, o caminho é oferecer múltiplas nuvens com um leque amplo de ofertas de serviços.
Um ambiente multicloud pode oferecer diversas vantagens, de um ambiente de nuvem privada a todo leque e ofertas das nuvens públicas. Ter diversas nuvens também pode reduzir o risco de perda de dados ou tempo de inatividade por causa da falha de um único provedor. Mas para tirar proveito dos benefícios multicloud, você necessita gerenciar, monitorar e controlar os custos.

A estratégia multicloud é muito mais que oferecer redundância de hardware, software e infraestrutura necessária para tolerância a falhas e sim servir de forma adequada a cada necessidade das aplicações e por consequência os desafios do negócio.

Multicloud exige planejamento e gestão cuidadosos.

Se você deseja implantar multicloud, entenda que os pontos mais sensíveis são o gerenciamento e a gestão de diversos ambientes estruturalmente diferentes, cuja integração de billing, monitoramento e capacity plan são alguns dos grandes desafios.

Multicloud deve suportar uma combinação de serviços e fornecedores de diferentes, oferecendo uma série de vantagens, com uma grande otimização de custos e complexidade.
O primeiro passo no planejamento e realizar um levantamento cuidadoso da maturidade das aplicações em relação a seu uso em nuvens e atribuí-las a um modelo de nuvem que melhor atende seus requisitos, uma vez o levantamento realizado você pode definir qual fornecedor reunirá a maior parte das suas aplicações e torna-lo seu fornecedor primário.

O tipo de serviço que seu provedor primário oferece, software como serviço (SaaS), plataforma como serviço (PaaS) ou infraestrutura como serviço (IaaS) deve ser a base do modelo de nuvem em torno do qual você deve planejar o caminho para o seu ambiente multicloud.
Some ao que comentei acima a necessidade de ter clareza dos custos envolvidos, para cada ambiente que deverá suportar um aplicativo é fundamental validar qual provedor de nuvem pode suportar melhor a aplicação e qual é o custo associado.

Provedores multicloud são a melhor opção para suportar estes novos desafios.