Gestão na nuvem: ainda um desafio para o CIO

Gestão na nuvem: ainda um desafio para o CIO

A área de tecnologia da informação vem passando por uma importante transformação nos últimos anos: os CIOs estão deixando de realizar investimentos altos em máquinas e capacitação técnica para apostarem na contratação de tecnologias como serviços, como por exemplo o SaaS, PaaS e IaaS.

Neste ponto, a cloud computing torna-se a bola da vez, já que as empresas precisam cada vez mais de flexibilidade, escalabilidade e mobilidade para alavancarem os seus negócios.

Até aí tudo seguindo o ritmo natural. Porém, o ponto que vem tirando o sono de muitos gestores começa depois dessa etapa. Agora que o datacenter e as aplicações já estão na nuvem como fica a gestão desses serviços?

Quando uma empresa reduz boa parte da infraestrutura física e migra para a nuvem, ela está em busca de escalabilidade e flexibilidade, mas precisa continuar tendo o controle do que está acontecendo com seus dados.

Muitos gestores de TI estão se perdendo no processo de digitalização dos negócios.

Não adianta investir em transformação digital se não conseguir gerir de forma eficiente o ambiente.

Mas cabe à TI controlar isso sozinha?

 

Busque um parceiro para ajudar no processo de gestão da nuvem

Planejar e gerenciar a infraestrutura de TI é um passo fundamental para ter sucesso na estratégia de migração para a nuvem, principalmente quando se fala de negócios digitais.

Por isso, mais do que nunca, o profissional de TI deve estar focado na evolução do negócio e não apenas acompanhar a performance das “luzinhas” dos sistemas.

O melhor a fazer nesse caso é contar com o apoio de um parceiro como o UOLDIVEO, por exemplo, que vai ajudá-lo a gerir seus sistemas e aplicações em cloud. Isso é essencial para ter a orquestração dos ativos e serviços da empresa de modo estratégico, olhando a TI como um todo.

A digitalização do negócio é um caminho sem volta. Portanto, não adianta partir para essa jornada, se não consegue gerir de forma eficiente os recursos na nuvem. Isso vai ocasionar estouro no orçamento e uma série de outros problemas relacionados à infraestrutura de TI.

O UOLDIVEO é um player agnóstico, que trabalha com todas as nuvens públicas e também com a nuvem privada. Assim, está pronto para apoiar o cliente para qualquer caminho que ele decida seguir.

Portanto, deixe de perder noites de sono tentando resolver sozinho a gestão dos ativos na nuvem. Busque o apoio de um especialista para ajudar a solucionar essa questão.

 

Rodrigo Balleroni

 

Qual é a nova posição do CIO na era digital?

Tenho me deparado muito com essa indagação: qual é a nova posição do CIO nesse mundo digital?

O mundo digital abre possibilidades enormes para todos os profissionais: marketing, vendas, mas especialmente para o executivo de TI.

Para continuar sendo importante, o CIO precisa deixar de ser visto como centro de custo e precisa passar a ser visto como gerador de receita.

Esta característica fica muito clara em pesquisas constantemente publicadas pelo Gartner que mostra que, especialmente em países latino-americanos, a otimização de custos está entre as principais preocupações destes profissionais. Questão importante, mas que não estão relacionadas a estratégias de crescimento de uma empresa.

Para assumir o papel de líder de inovação e impulsionador do negócio, o executivo deve encarar essa nova etapa como uma enorme oportunidade e não como uma ameaça a sua posição atual.

A grande vantagem que o CIO tem é o enorme conhecimento, muitas vezes acumulado por anos de aprendizado e prática, que os novatos ou os oriundos de outras áreas não possuem. A “mão na graxa” nessas horas faz a diferença para conectar o negócio com a tecnologia.

Nunca se abriu um universo tão amplo de oportunidades como na era digital.

Toda a indústria está se transformando, das tradicionais gravadoras de música, varejo e até bancos estão sendo reinventados. Aplicativos são criados a todo momento para alegria, e ao mesmo tempo, arrepio de muitos.

E é justamente nesse cenário que o CIO pode e deve ter papel fundamental.

Agora, a postura tem que seguir o mesmo ritmo das mudanças. O profissional além de continuar se aprimorando deve se desapegar do jeito antigo de fazer as coisas.

É preciso se manter atento às negociações de SLA que correspondem à qualidade adequada ao serviço prestado, acompanhe os resultados (KPI), que devem estar disponíveis na maioria das vezes em real time, mas acima de tudo se manter focado no negócio.

Se o CIO não fizer isso, certamente alguém da organização fará.

Boa sorte e conte conosco!