BYOD e Cloud Computing: a combinação perfeita

BYOD e Cloud Computing: a combinação perfeita

Um fenômeno chamado BYOD (Bring Your Own Devices) chegou de mansinho na rotina das empresas e agora se mostra como um movimento sem volta. É praticamente impossível impedir que um funcionário deixe de usar seu dispositivo móvel no ambiente de trabalho.

Em partes, esse fenômeno vem ocorrendo porque, há dez anos, os colaboradores tinham o melhor da tecnologia disponibilizado pelas próprias empresas. Atualmente, observa-se exatamente o contrário. Os dispositivos voltados para o consumidor avançam rapidamente e as substituições de equipamento são frequentes, sempre na busca por equipamentos mais modernos, ágeis e com melhor desempenho.

 

Uma companheira inseparável chamada cloud computing

Acompanhando a tendência de BYOD, não podemos esquecer a sua melhor amiga: a cloud computing. A combinação dessas duas tendências está transformando os ambientes de trabalho dentro das organizações, que pouco a pouco vêm adaptando suas aplicações à essa nova realidade.

Segundo uma pesquisa da CipherCloud, 86% das aplicações em cloud utilizadas no ambiente de trabalho não foram autorizadas. Isso significa que o setor de tecnologia da informação perdeu o controle sobre as aplicações que são utilizadas dentro das empresas. Em poder de seus próprios dispositivos, os funcionários podem simplesmente ter acesso aos serviços em poucos minutos. Talvez alguns departamentos de TI de empresas mais ortodoxas até gostariam de bloqueá-las, porém isso já faz parte da vida corporativa.

 

Segurança em tempos de BYOD

A preocupação com segurança dentro das empresas é fator crítico. A previsão é que até 2020, 60% dos funcionários das empresas utilizem seus próprios smartphones para atividades relacionadas ao trabalho, enquanto a utilização da nuvem pública para fins de armazenagem de informações deve ter um crescimento na faixa de 50% ainda neste ano.

Esse é o maior dilema quando o tema é a utilização de dispositivos móveis no trabalho. Os equipamentos pessoais que têm acesso à rede corporativa são vistos como pontos de acesso fáceis por invasores e, por isso, são considerados o ponto mais vulnerável da empresa. É possível garantir que os dispositivos corporativos tenham os recursos necessários para garantir a segurança durante os acessos à rede; no entanto, a empresa perde o controle se o colaborador utiliza seus próprios dispositivos.

Para isso, a computação em nuvem é a solução mais adequada para o processamento e o armazenamento de dados. Se eles ocorrem fora dos dispositivos móveis e é feito todo na nuvem, a segurança de acesso está garantida somente a quem a informação for importante.

 

Gestão de dispositivos móveis

É importante também pensar na adoção de tecnologia de nuvem para realizar a gestão de dispositivos móveis, com objetivo de garantir a segurança. Existem ferramentas, por exemplo, que possibilitam aos colaboradores formatarem seus dispositivos perdidos ou roubados, para garantir que as informações sensíveis não sejam acessadas por pessoas de fora da organização. Essa é apenas uma possibilidade, entre tantas existentes.

Outro ponto é que, com os aparelhos pessoais, os funcionários podem se descuidar e conectá-los a redes WiFi abertas, partindo do pressuposto que essas redes são seguras. Podem ainda usar aplicativos e serviços que já conhecem por causa do uso pessoal para o trabalho, o que não é recomendado. O ideal é que a empresa dê alternativas corporativas para que os colaboradores entendam que as regras existem.

 

Como utilizar a favor do negócio

As companhias precisam encontrar formas de utilizar as novas tecnologias, que vieram para ficar, a favor do negócio. Já que a computação em nuvem, juntamente com o BYOD, passaram a ser companheiras inseparáveis, em vez de nadar contra a maré, aposte em tecnologias capazes de reduzir as vulnerabilidades para lidar com essa transformação. Se você já percebeu os impactos do BYOD na sua empresa, experimente ficar atento às últimas tendências dessa prática e aproveite o que há de positivo por trás dela.

 

UOLDIVEO