Quando preciso de colocation?

Com toda a certeza do mundo, sua empresa vai saber de maneira muito rápida, e muitas vezes sofrida, quando é necessário partir para a contratação de serviços de colocation. Isso porque a sua própria infraestrutura dará os sinais de alerta para essa decisão.

Essa modalidade oferece mais que um serviço eficiente e seguro, traz tranquilidade para a operação, com ganho de tempo valioso para que você se dedique ao aprimoramento da estratégia do negócio.

O colocation é um serviço de aluguel de infraestrutura de data center para a instalação do servidor do cliente. Ele se diferencia do servidor dedicado, considerando que não há a contratação do equipamento de processamento, porque ele pertence ao cliente. O serviço de data center entra como suporte, fornecendo serviço, conectividade com a internet, climatização, espaço no rack, energia elétrica, entre outros recursos.

De acordo com a consultoria global Frost & Sullivan, cada vez menos companhias estão decidindo construir seus próprios data centers em razão dos custos que envolvem essa operação. O principal motivo para considerar o colocation é financeiro, afirma a consultoria, visto que a construção de uma infraestrutura de centro de dados consome tempo e dinheiro.

Ele é ideal para empresas em crescimento e que por falta de espaço e localização adequada decidem alugar infraestrutura de data center para não perder a qualidade dos seus serviços. Então, quando há o crescimento do negócio e a infraestrutura não consegue garantir alta disponibilidade das aplicações críticas, é hora de pensar em colocation.

Ou mesmo diante de limitações de espaço para guardar aquele equipamento dedicado ao armazenamento e necessidades prementes de atualizações tecnológicas, que sempre demandam altos investimentos.

Com o colocation, seus dados são armazenados de forma segura, no seu próprio equipamento, alocado em um espaço físico seguro. E você ainda reduz os seus custos com infraestrutura, visto que divide despesas de conexão, banda, eletricidade, entre outros recursos, com o provedor.

Em prol da segurança e do controle eficiente

É uma boa opção para o negócio que deseja exorcizar o fantasma da insegurança e, ao mesmo tempo, precisa ter o controle completo sobre seus dados estratégicos. Basta transferir toda a sua infraestrutura para as instalações do provedor, mantendo as rédeas da gestão das suas máquinas.

A sua infraestrutura própria conta com refrigeração eficiente, sistemas de backup, fornecimento de energia com geradores para impedir interrupções, ampla conectividade por meio de variados fornecedores de internet? Para qualquer negativa nesses itens, a solução é colocation, porque nada irá funcionar corretamente e sua equipe vai atuar em meio a sobressaltos no dia a dia.

Como está a velocidade do seu servidor? Ele fica lento quando há um volume grande de acessos? Certamente o problema está na largura de banda da internet, que não tem capacidade para suportar essa carga pesada. E custa caro se preparar para suprir essa demanda. Mas não no colocation, em que o ambiente se adequa de acordo com o fluxo, com banda suficiente e, o melhor: com custo compartilhado.

Na avaliação de analistas do setor, a transformação digital impulsionou ainda mais a geração de grandes volumes de dados estruturados e não estruturados nas empresas de variados setores e sobretudo na indústria manufatureira com a interconexão de sistemas e “coisas” pelas mãos da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). A procura por outsourcing de data center, eles acreditam, deve aumentar bastante.

Segundo levantamento da consultoria global IDC, esse mercado representa um expressivo filão a ser explorado no Brasil. Na pesquisa, a maioria das organizações que já aderiu à estratégia (45%) adotou cloud computing, o colocation vem logo a seguir com 37%.

Se a sua empresa já apresenta sinais de limitações de espaço, segurança, disponibilidade e de investimento em alta tecnologia, é preciso tomar uma decisão. Quando? A hora é essa!