Gestão associado a Colocation, a cereja do bolo

Sim e não. Isso porque tudo vai depender da melhor estratégia para atender aos objetivos de negócio. O serviço tradicional de data center, o colocation, oferece vantagens a empresas que precisam crescer suas infraestruturas de TI, de maneira rápida, segura, fora do ambiente corporativo, que se tornou pequeno para o porte do negócio. Se esse for o caso, colocation é ideal.

Assim, empresas clientes podem alocar seus servidores, informações e serviços no data center do provedor e resolve o problema. Esse serviço é seguro e econômico e ainda oferece infraestrutura, disponibilidade e monitoramento, sem custos com manutenção.

É uma modalidade que, mesmo sem o valor agregado da gestão do ambiente, segue em crescimento porque atende a propósitos do negócio, táticos ou de momento. Na estimativa da consultoria global Research and Markets, o mercado mundial de colocation deve chegar a US$ 55,31 bilhões até o final de 2021, com taxa de crescimento anual de 14,45%.

Mas há quem queira ampliar esses benefícios e deseja tirar dos ombros a tarefa de gerenciar a camada de dispositivos da infraestrutura, sem perder o controle do ambiente e da sua flexibilidade. Então, a cereja desse bolo é, sem dúvida, a contratação de serviços de gestão junto com o colocation.

Nesse modelo, a responsabilidade da gestão fica com o provedor do serviço, que cuida da camada do data center, da rede e do hardware. E você pode direcionar os seus profissionais, que antes se dedicavam a essas tarefas, para atividades mais estratégicas.

Terceirizar esse gerenciamento é um passo importante no atual desenho do mercado, transformado e acelerado pelo avanço do digital, em que o volume de dados cresce de maneira exponencial nos data centers. Essa facilidade segue atraente e ganhando cada vez mais adeptos.

 

Conforto e segurança

Não por acaso, de acordo com a consultoria global Frost & Sullivan, a receita do mercado de serviços de data center, na América Latina, pode atingir U$S 4,37 bilhões em 2021. E mais: os serviços gerenciados de data center vão impulsionar modelos híbridos, combinando infraestrutura com serviços, capazes de se adequarem às principais necessidades de clientes da nova era.

Diferente do colocation tradicional, em que o provedor é responsável pela camada do data center e da rede e o cliente pela camada de hardware e sistema operacional, o gerenciado administra sistemas operacionais, bancos de dados, servidores de aplicação, firewalls, roteadores e switches e soluções de backup.

É um conforto inestimável contar com uma equipe de especialistas cuidando da sua rede, do hardware e dos servidores, sistemas operacionais, firewalls, bancos de dados, roteadores e switches, soluções de backup e servidores de aplicação de variadas tecnologias, não?

Enquanto isso, você foca os investimentos na compra de hardware, eliminando assim custos operacionais de equipes, além da economia com infraestrutra física, envolvendo energia e climatização, por exemplo. Ponto para o colocation gerenciado.

Resumindo, o colocation gerenciado é um modelo seguro e econômico de aluguel de infraestrutura de data center, com gestão do ambiente, em que o provedor é responsável pela rede, gerencia dispositivos, oferecendo acesso a ambientes restritos e garantia de substituição rápida de hardware.

Uma forma atraente de o negócio reduzir a distância física entre seus servidores e provedores de cloud, gerando conexões mais rápidas, acesso remoto para controlar hardware e SO, contando com suporte especializado 24x7x365.

A escolha é sua. Mas atente para a velocidade de inovações, que contam com tecnologias disruptivas. Ela amplia o risco de depreciar o investimento muito rapidamente em infraestruturas próprias. O que vale hoje, portanto, pode não valer amanhã. O melhor modelo, no entanto, é aquele que atende como uma luva ao objetivo do seu negócio.