“Porque escolher OpenStack?”: A primeira pergunta que você deveria saber responder

“OpenStack. Ok… é uma tecnologia de nuvem. E?”

Foi essa minha reação quando ouvi falar na mais famosa plataforma Open Source de orquestração de nuvem pela primeira vez.

Naquele momento, o principal ponto para mim era entender o valor do OpenStack para empresas, altos executivos, gestores e quem lida no dia a dia com infraestrutura e desenvolvimento.

Não demorou para entender o valor por trás da tecnologia, mas uma dúvida ainda continuava:

Será que todo profissional de TI sabe o real valor do OpenStack? E se todo mundo ainda tiver um “E?” na cabeça?

Para entender o valor, primeiro é preciso pensar na transformação que estamos passando.

O mundo cria 2,5 quintilhões de bytes de dados diários.
90% dos dados no mundo de hoje foram criados nos últimos dois anos!

Este volume de informações vai continuar a aumentar e os motivos são muito claros: mobile, social, IoT.
Pessoas conectadas. Objetos conectados. O mundo girando em torno de dados.

E olhando para o mundo das empresas, as oportunidades para este novo momento que estamos vivendo são inúmeras. Quem tem mais agilidade para se adaptar a este mundo de dados para criar novos negócios e modificar a maneira que as coisas são feitas tem uma vantagem competitiva fundamental.

Nota mental: Agilidade

A área de TI das empresas precisa ter capacidade de escala para enfrentar os desafios de volumes crescentes de dados, mas ao mesmo tempo precisam garantir que as informações estão seguras e facilmente acessíveis.

Para manterem-se competitivas, as empresas devem usar tecnologias que entreguem agilidade e capacidade de uso rápido e OpenStack oferece isto.

Não à toa, Yahoo, Cisco WebEx, Mercadolibre, Red Hat, PayPal e American Express usam OpenStack. E mais: existe uma comunidade global de mais de 40.000 usuários e mais de 500 empresas contribuindo ativamente com ele.

E onde está o valor do OpenStack frente às outras nuvens?

Comecemos pelas nuvens privadas.

Existem ótimas plataformas de cloud computing que podem ser usadas para construção de nuvem privada, mas junto com a maioria delas vem a condição de estar sujeito às regras de financeiras e de uso do fornecedor; e isto pode justamente levar a empresa a não atingir seus objetivos de agilidade.

O OpenStack cobre esta lacuna, como o Linux fez no passado. O valor está no serviço e não no produto. A empresa passa a ter liberdade para decidir.

Nota mental: Liberdade

É estratégico construir a nuvem por conta própria? Ok.
É estratégico usar o know-how de um fornecedor especializado para acelerar o projeto e reduzir riscos? Ok.
Deseja alterar a forma como o OpenStack funciona para atender uma característica do negócio? Ok também.

A decisão é da empresa e pode ser mudada a qualquer momento.

Mas e a nuvem pública em OpenStack?

O mundo muda o tempo todo e com os negócios não é diferente.

Além da agilidade, flexibilidade e elasticidade proporcionada pelas nuvens públicas, a liberdade também faz parte do cenário. Liberdade de levar as cargas de trabalho de um provedor de serviços para outro a qualquer momento. Liberdade para levar cargas de trabalho para a nuvem privada em tecnologia OpenStack, sem grandes esforços e investimentos. Liberdade para integrar a nuvem pública e privada. Liberdade.

Além disto, a gigantesca comunidade OpenStack contribui todos os dias com melhorias, novidades e solução de problemas à uma velocidade incomparável com qualquer outra empresa do mundo. O resultado disto é rapidez para atingir a maturidade da solução.

Nota mental: Maturidade.

É “cool” usar OpenStack pela novidade e pela liberdade, mas acima de tudo, a possibilidade de usar e gerir infraestrutura se aproveitando da maturidade já obtida, olhando para o futuro e para onde a plataforma está caminhando faz do OpenStack uma plataforma a ser considerada na estratégia de adoção de nuvem pelas empresas.

Por fim, é importante ter em mente aquilo que grandes institutos de pesquisa de tecnologia tem repetido constantemente: não existe uma nuvem ideal para todas as aplicações e nem toda aplicação funciona adequadamente em qualquer nuvem.

Uma estratégia multicloud, onde a decisão das nuvens a serem usadas passa pela análise das características das aplicações e seus requisitos de negocio é fundamental para o sucesso da adoção massiva de cloud computing.

O UOLDIVEO tem ajudado empresas na escolha, construção, gestão e melhoria de nuvens públicas, privadas e híbridas e por isso recomendo conhecer nossos serviços e falar com um de nossos especialistas em nuvem.

Site: uoldiveo.com.br
Contato: 11 3092 6161

Gustavo Villa

Entusiasta de tecnologia e comunicação, Gustavo Villa esteve à frente de agência de marketing por mais de 8 anos. Atualmente é coordenador de produtos no UOL DIVEO.