Multicloud: muito mais que infraestrutura

Computação multicloud representa uma nova fronteira para profissionais de TI.
multicloud pode ser considerada uma estratégia de uso concomitante de dois ou mais serviços de nuvem para minimizar o risco de perda de dados, tempo de inatividade, otimização de custos e principalmente adequação da nuvem certa para cada aplicação. Essa estratégia também pode melhorar o desempenho global da empresa, evitando “vendor lock-in” e usando diferentes infraestruturas para atender a diversos desafios.
Lembre-se, não existe uma nuvem que atenda todas as necessidades das aplicações e não são todas aplicações que se adaptam a qualquer nuvem.

É praticamente impossível para um provedor de nuvem suportar todas as necessidades das empresas, o caminho é oferecer múltiplas nuvens com um leque amplo de ofertas de serviços.
Um ambiente multicloud pode oferecer diversas vantagens, de um ambiente de nuvem privada a todo leque e ofertas das nuvens públicas. Ter diversas nuvens também pode reduzir o risco de perda de dados ou tempo de inatividade por causa da falha de um único provedor. Mas para tirar proveito dos benefícios multicloud, você necessita gerenciar, monitorar e controlar os custos.

A estratégia multicloud é muito mais que oferecer redundância de hardware, software e infraestrutura necessária para tolerância a falhas e sim servir de forma adequada a cada necessidade das aplicações e por consequência os desafios do negócio.

Multicloud exige planejamento e gestão cuidadosos.

Se você deseja implantar multicloud, entenda que os pontos mais sensíveis são o gerenciamento e a gestão de diversos ambientes estruturalmente diferentes, cuja integração de billing, monitoramento e capacity plan são alguns dos grandes desafios.

Multicloud deve suportar uma combinação de serviços e fornecedores de diferentes, oferecendo uma série de vantagens, com uma grande otimização de custos e complexidade.
O primeiro passo no planejamento e realizar um levantamento cuidadoso da maturidade das aplicações em relação a seu uso em nuvens e atribuí-las a um modelo de nuvem que melhor atende seus requisitos, uma vez o levantamento realizado você pode definir qual fornecedor reunirá a maior parte das suas aplicações e torna-lo seu fornecedor primário.

O tipo de serviço que seu provedor primário oferece, software como serviço (SaaS), plataforma como serviço (PaaS) ou infraestrutura como serviço (IaaS) deve ser a base do modelo de nuvem em torno do qual você deve planejar o caminho para o seu ambiente multicloud.
Some ao que comentei acima a necessidade de ter clareza dos custos envolvidos, para cada ambiente que deverá suportar um aplicativo é fundamental validar qual provedor de nuvem pode suportar melhor a aplicação e qual é o custo associado.

Provedores multicloud são a melhor opção para suportar estes novos desafios.

Lauro de Lauro

Autodidata com mais de 30 anos de experiência em desenvolvimento de aplicações, gestão de equipes, vendas e marketing. Empresário e empreendedor há 23 anos, foi o fundador da primeira empresa especializada em construção e gestão de nuvens OpenStack no Brasil, adquirida pelo UOL DIVEO em 2016.