Com assistente virtual, UOL DIVEO reduz em 40% tempo de resolução de chamados

Empresa iniciou uso da solução há três meses

UOL DIVEO criou uma ferramenta de atendimento para aumentar a eficiência e a agilidade do atendimento a clientes. Com a UOL DIVEO Message Automation (UMA), a empresa reduziu em 40% o tempo médio de resolução de chamados, nos três primeiros meses de uso.

Baseado em inteligência artificial, a ferramenta foi implementada na operação da companhia e é um exemplo prático da filosofia de que, antes de ser um fornecedor, a empresa deve ser consumidora e implementar as soluções internamente.

Edward Monteiro, diretor de operações do UOL DIVEO, comenta que a UMA surgiu do empenho para agregar valor na operação de atendimento e conseguir aumentar a efetividade do trabalho, sempre com a preocupação de evoluir também na agilidade, melhorando a experiência do cliente. “Em três meses de aplicação, já observamos nitidamente os excelentes resultados e o cumprimento de todos esses objetivos. Os relatórios indicam que hoje temos uma efetividade de comunicação 60% maior para acionar equipes resolvedoras para atuação em crise”, destaca.

“A inteligência artificial da ferramenta é uma importante aliada, que reduz os esforços do time no escalonamento de atividades e assim permite que se dediquem a funções técnicas, proporcionando um serviço de mais qualidade.”

Como funciona

No primeiro estágio do atendimento, a UMA atua como uma ferramenta de chatbot. De forma ágil e segura, as informações coletadas nesse contato são transferidas a um grupo de mensagens instantâneas acessado pela equipe de Service Desk, que assim consegue visualizar o status de cada chamado e atendê-los de acordo com as ordens prioritárias.

Monteiro explica também que a solução permite aproveitar o melhor das qualidades dos robôs e dos humanos. “Automatizando processos extremamente trabalhosos, ganhamos muito tempo e assertividade, pois temos pleno controle de todos os chamados, além de conseguirmos reunir indicativos claros sobre prazos e o andamento de cada operação. Em soma a isso, os profissionais capacitados da nossa equipe conseguem concentrar seus esforços em realizar atividades que agregam mais valor, como o atendimento técnico voltado a compreender as necessidades específicas de cada demanda. O trabalho foi otimizado, ganhamos rapidez e desenvolvemos uma célula técnica de atendimento que é um importante diferencial no serviço de gestão para clientes”, completa. 

O desenvolvimento da ferramenta iniciou no setor de operações do UOL DIVEO e hoje é um dos projetos assumidos pela nova área de Inovação, criada no fim de 2017, sob comando do Head Alexis Rockenbach. Com foco em adotar soluções que disseminem a cultura do “ágil” e simplifiquem processos, a nova área tem como base quatro pilares principais: big data & analytics, internet das coisas, machine learning/inteligência artificial e jornada de nuvem/transformação digital.

 

Fonte: Computer Word

UOL DIVEO demonstra a aplicação de tecnologias para superar desafios de negócios na 1ª edição do Thinkers and Makers

UOL DIVEO, integradora de soluções para infraestrutura de TI, multicloud, serviços gerenciados e aplicação, em parceria com a Dynatrace, empresa mundial especializada em soluções de gerenciamento de performance digital, promoveram a 1ª edição do Laboratório de Inovação Thinkers and Makers, realizado no último dia 23 em um espaço no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. O evento contou com a presença de empresas, startups e especialistas com o objetivo de debater tendências e demonstrar na prática a aplicação de tecnologias inovadoras para superar desafios corporativos.

“A primeira edição do Thinkers and Makers atendeu a todas as expectativas e foi um evento incrível. Conseguimos, em uma tarde, realizar um processo que habitualmente dura semanas, percorrendo as etapas necessárias para desenvolver soluções tecnológicas adequadas aos desafios específicos de cada empresa. De forma simplificada, comprovamos na prática o quanto os quatro pilares que norteiam a nova área de Inovação do UOL DIVEO (Big DataIoTInteligência Artificial e Transformação Digital) são tecnologias que se complementam e oferecem um leque gigantesco de possibilidades. Em poucas horas, mapeamos as necessidades de cada empresa participante e chegamos a uma solução, o chamado mínimo produto viável (MVP)”, comenta Alexis Rockenbach, CTO da área de Inovação do UOL DIVEO.

O laboratório contou com a participação de sete empresas: Renner, Claro, Natura, Atento, Honda, Drogaria Onofre e o próprio UOL DIVEO, que também utilizou a experiência para mapear oportunidades internas e aprimorar procedimentos. “Gostei muito de ver exemplos reais e cases de como as tecnologias foram aplicadas. Nós ouvimos falar muito das novas tendências e hoje pudemos ver resultados da aplicação das tecnologias. Foi um aprendizado enorme, sair do dia a dia da empresa e ver essas apresentações. Certamente eu recomendo o evento”, afirma João Ribeiro, analista de TI de uma das empresas presentes.

A oportunidade de compartilhar ideias inovadoras com profissionais de diferentes áreas foi bastante valorizadas pelos participantes. “Esses eventos nos ajudam a conhecer ideias de outras pessoas, com expertises diferentes. Com as palestras, consegui ter uma visão das tecnologias que estão sendo mais faladas atualmente e observar onde elas foram implantadas. Muitas vezes pensamos ‘quero utilizar isso’ e não sabemos como”, declara o executivo Rafael Auday.

Cada uma das empresas participantes apresentou um desafio de negócio particular para ser solucionado ao longo da tarde. Conforme ditam as regras das metodologias agiles, foram formados grupos multidisciplinares de 4 a 6 pessoas para avaliar cada caso, com a presença de executivos da companhia analisada (tomadores de decisão e líderes dos setores de TI, marketing e vendas), acompanhados de especialistas nas áreas de Big DataIoTInteligência Artificial e Transformação Digital. O processo todo durou cerca de quatro horas, tempo no qual as companhias participantes percorreram etapas para identificar seus desafios e chegar às soluções. Os profissionais presentes, com a consultoria dos especialistas multidisciplinares, puderam se aprofundar nas soluções inovadoras disponíveis no mercado para atender aos desafios apresentados e encerrar o evento com um mínimo produto viável (MVP) indicado para resolver seu desafio.

A congruência entre as diferentes tecnologias marcou o evento desde seu início. Pela manhã, antes do laboratório prático, especialistas convidados conduziram uma série de palestras, nas quais apresentaram cases de aplicação dos quatro pilares tecnológicos que representam a base da nova área de Inovação do UOL DIVEO. Felipe Plets, co-fundador e CEO da Menvia, comentou sobre IoT. Na sequência, Luciano Costa, fundador e CTO do MeekaLabs, apresentou exemplos de uso de Machine Learning e Inteligência Artificial. O tema “Big Data & Analytics” foi abordado em conjunto por Fabio Rios, sócio e CEO da Plugar Data & Intelligence, e Alan Camillo, fundador e diretor de tecnologia da Blue Shift. Por fim, Leonardo Alves, o “Carioca”, CEO e fundador do aplicativo de relacionamento Deeper, e Juliana Glasser, CEO e co-fundadora da empresa de soluções tecnológicas Carambola.com.vc, expuseram suas visões sobre transformação digital.

 

Fonte: E-commerce News

Empresas de e-commerce registram Black Friday com crescimento de 30% sobre ano anterior

Levantamento do UOL DIVEO compara o total de visitantes, page views e taxas de conversão de diferentes lojas virtuais em relação ao ano passado

O volume de acessos e vendas cresceu significativamente entre a Black Friday de 2016 e 2017. O crescimento foi constatado por dados divulgados pelo UOL DIVEO, empresa que oferece serviços de tecnologia para apoiar as companhias em sua jornada para o digital. Em uma amostragem com base em 18 varejistas online, foi verificado um crescimento médio de 30,4% no número de visitantes únicos e 24,2% no total de page views no acumulado entre 20 e 26 de novembro (semana conhecida como “Black Week”), em comparação com o mesmo período de 2016. A taxa de conversão (índice de contabiliza o número de visitantes que concretizam uma compra) também teve um ligeiro crescimento, o que considerando o aumento de tráfego, gerou um crescimento de receita da ordem de 30% sobre o mesmo período em 2016.

Em números totais, as 18 lojas virtuais consideradas no levantamento – incluindo empresas de diferentes segmentos do varejo -, acumularam 13.325.396 visitantes únicos e 104.334.259 page views ao longo dos sete dias analisados.  A grande demanda já era esperada e, para evitar quedas de servidor ou instabilidade nesses momentos de pico, o UOL DIVEO preparou as lojas virtuais com modernas soluções de TI.

“É fundamental que as empresas se preparem com antecedência, contando com profissionais competentes de TI que saberão adequar os servidores e as demais ferramentas das páginas para funcionar normalmente durante datas de grande tráfego, como a Black Friday. Páginas instáveis ou que caem antes da conclusão das compras estão entre as principais queixas dos consumidores, um erro que pode ser irreversível para a reputação de uma marca”, comenta Alexis Rockenbach, Head de Inovação do UOL DIVEO.

A amostra representa uma tendência de crescimento em todo o mercado e comprova o quanto a Black Friday já está instaurada na cultura dos consumidores brasileiros. “O aumento observado nesse levantamento com 18 clientes reforça o quanto o evento deve ser encarado com grande atenção pelas empresas de e-commerce, que devem investir em soluções de TI para que suas páginas estejam em perfeitas condições durante datas de pico – o que também inclui outras como Natal, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e das Mães”, acrescenta Rockenbach.

 

Sobre o UOLDIVEO
O UOL DIVEO, empresa do Grupo UOL, oferece serviços de tecnologia para apoiar as empresas em sua jornada para o digital. Com soluções de infraestrutura, serviços gerenciados, aplicação e Multicloud, atua de forma isenta por meio de ofertas próprias e acordos com os principais provedores globais de cloud. Possui experiência em implementar, integrar, gerenciar e otimizar soluções personalizadas para oferecer àquela que melhor atenda às necessidades de negócio dos clientes.

Autopass investe mais de R$ 16 milhões em TI e inicia seu processo de migração para a Nuvem

Empresa de meios de pagamento, responsável pela operação do BOM, o Cartão de Transporte da Região Metropolitana de São Paulo, a Autopass conta com o UOLDIVEO para fazer a migração e gestão do processamento de suas aplicações para a solução de nuvem privada.

Com este movimento, a empresa se torna a primeira empresa de soluções para o transporte público no Brasil a adotar o processamento de dados para a nuvem.

Responsável pela gestão e operação do BOM, o Cartão de Transporte da Região Metropolitana de São Paulo, a Autopass, empresa de tecnologia, meios de pagamento e soluções para a mobilidade urbana, inicia a migração de suas aplicações para a solução de nuvem privada por meio do UOL DIVEO. Com este movimento, a empresa se torna a primeira empresa de soluções para o transporte público no Brasil a adotar o processamento de dados para a nuvem. O valor investido em tecnologia será de mais de 16 milhões de reais em cinco anos, sendo que, no primeiro ano, o aporte será de 6 milhões de reais.

“Como uma empresa de tecnologia, estamos constantemente pensando em inovação e aprimoramento de nossa operação que possam trazer benefícios tanto aos usuários do transporte coletivo quanto aos gestores como os órgãos públicos e empresas privadas”, afirma Rubens Fernandes Gil Filho, CEO da Autopass. A empresa opera 3,3 milhões de transações diárias do cartão BOM, dos mais de 8 milhões de cartões emitidos. O BOM é aceito diariamente em uma frota de 6 mil ônibus nos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo, além da integração com Metrô, CPTM e EMTU. A companhia oferece ainda ATMs para recarga do BOM e do Bilhete Único em mais de 150 estações do Metrô e da CPTM.

 

 

Nuvem expande capacidade de atendimento para eventual aumento de demanda ou lançamento de novos serviços

Além de suportar toda esta operação, trazer inovação, alta capacidade e agilidade, a migração para a nuvem permite que a Autopass expanda sua capacidade de atendimento rapidamente a um eventual aumento de demanda ou lançamento de novos serviços como os projetos de aceitação de pagamentos via celular, cartão de crédito e débito no transporte coletivo (já testado na região do ABC- SP e em Porto Alegre- RS) e o uso do QR Code para pagamento de transporte em rodas e trilhos, também já testado na capital paulista. “Fomos a primeira empresa da América Latina a trazer estas novas modalidades de pagamento já utilizadas na Europa e Ásia. A migração para a nuvem facilita que, em um curto espaço de tempo, todas as cidades brasileiras possam oferecer aos seus cidadãos a possibilidade de escolher como querem pagar o transporte coletivo”, comenta.

“Ganhamos muito em questão de agilidade, porque não precisaremos passar pelo processo tradicional de aquisição de servidores físicos. O processamento dos dados em nuvem traz elasticidade ao nosso ambiente computacional, permitindo aumento ou redução da capacidade dependendo da necessidade do negócio. A migração para a nuvem nos traz uma previsão de gastos, proporcionando mais eficiência de custo a nossa operação”, afirma.

A companhia consultou o UOL DIVEO, empresa do grupo UOL, especializada em infraestrutura, multicloud, serviços gerenciados e aplicação, que fez uma análise sobre o melhor investimento para atualização tecnológica. De acordo com o perfil de seu negócio, a Autopass, cliente há mais de oito anos e que atuava no ambiente de Colocation, passa agora a operar a maioria de suas aplicações na solução de nuvem privada do UOL DIVEO. O projeto conta ainda com um plano de Disaster Recovery e Compliance. O UOL DIVEO também passa a ser responsável pela gestão das aplicações de governança, infraestrutura e banco de dados, deixando a equipe de TI da Autopass mais focada no negócio da companhia.

O projeto, iniciado em abril, tem previsão de conclusão em seis meses. “Atuando de forma agnóstica, nosso trabalho está em entender as necessidades do negócio e propor a melhor solução de acordo com a maturidade das aplicações até a implementação e a gestão da solução, com otimização contínua. O suporte ao nosso cliente é fundamental para que ele possa focar exclusivamente em seu negócio, sem se preocupar com a infraestrutura de TI. Com certeza, é um grande privilégio estar mais uma vez ao lado de uma empresa inovadora, que já passou por diversas transformações tecnológicas e vive agora mais uma etapa da sua jornada digital”, afirma Débora Bortolasi, Diretora Comercial do UOL DIVEO.

Microsoft concede ao UOLDIVEO competência Gold Cloud Platform

O FOCO DA ATUAÇÃO EM MULTICLOUD ASSEGURA AO UOLDIVEO A CONQUISTA DA MAIOR COMPETÊNCIA OFERECIDA PELA MICROSOFT EM CLOUD: GOLD CLOUD PLATFORM PARTNER

UOL DIVEO destacou-se como a empresa com o maior número de profissionais treinados e certificados no mercado brasileiro, de acordo com os requisitos de avaliação da Microsoft.

O UOL DIVEO, empresa do Grupo UOL que possui soluções completas de cloud computing, infraestrutura, serviços e segurança para apoiar e suportar a jornada dos clientes para o digital, celebra a conquista da competência Gold Cloud Platform concedida pela Microsoft.

O reconhecimento, que outorga ao UOL DIVEO o mais alto nível de graduação concedido pela Microsoft, vem de encontro com a estratégia de atuação Multicloud, que consiste em ofertar aos clientes a melhor integração de clouds privadas, híbridas e públicas visando proporcionar a melhor solução, tanto em sua necessidade de aplicação, como na implementação e gestão de projeto.

Para receber a competência Gold Cloud Platform Partner, o UOL DIVEO atendeu aos critérios referidos dentro do processo de avaliação de desempenho: o volume do consumo de nuvem nos últimos 12 meses; a validação e referência por clientes da empresa que utilizam nuvem Microsoft e a certificação de profissionais nas avaliações realizadas pela Microsoft.

Entendendo que o desenvolvimento e a prestação de serviços realizados pelo time de profissionais são os pilares que integram a estratégia Multicloud, o UOLDIVEO alcançou o número de 102 colaboradores certificados e treinados com base nos requisitos relacionados nos roteiros de capacitação Partner University, da Microsoft. “Investir na formação de equipe é uma das premissas do UOL DIVEO. Ao atingir essa marca, nos tornamos a empresa com maior número de especialistas capacitados e avaliados de acordo com os procedimentos exigidos pela Microsoft. Ter um time capacitado é, sem dúvida, um relevante diferencial dentro do mercado de TI”, explica Luiz Vianna, Diretor de Alianças Estratégicas do UOL DIVEO.

Para Marcos Peigo, COO do UOL DIVEO, a obtenção da competência Gold Cloud Platform Partner ressalta a aliança estratégica no mercado brasileiro com a Microsoft Azure, além de reafirmar a estratégia Multicloud do UOL DIVEO. “Contar com a parceria e o reconhecimento da Microsoft nos permite oferecer aos clientes uma solução competitiva que não se trata apenas da combinação de nuvens, mas sim de extrair de cada uma delas a melhor característica e performance para atender a necessidade de cada negócio”, reitera Peigo.

“Ao alcançar a competência Gold, o UOL DIVEO demonstrou o mais alto e consistente nível de capacidade e compromisso com a tecnologia Microsoft” afirma Paula Bellizia, presidente da Microsoft no Brasil. “Parceiros com esta competência, como o UOL DIVEO, possuem um profundo expertise, que os colocam no topo de nosso ecossistema de parceiros, e seu conhecimento ajudará clientes a impulsionar soluções inovadoras.”

 

Fonte: E-commerce News  / Exame / UOL

Dados valiosos para o varejo

A relação da Tecnologia da Informação com a Black Friday está cada vez mais próxima, uma vez que os sistemas e recursos entregam ao varejista mais agilidade e otimização nos processos, gestão, eficiência operacional e monitoramentos comportamentais dos clientes. Por ser um período de alta complexidade para o varejo, a TI tem capacidade de entregar uma visão 360° do negócio, além de integração dos dados de diversos canais de venda.

Na visão de Francisco Casella, líder de MDM na América Latina da Informatica, um ponto importante de presença da TI no varejo é a coleta de dados relevantes sobre o consumidor. Assim, é mais fácil tomar decisões corretas acerca dos clientes, aperfeiçoar as ofertas de vendas cruzadas e aumentar o ticket de vendas, promoções e serviços.

“Cada cliente quer ser visto como único no seu relacionamento com o fornecedor. No ato da interação com a marca em qualquer canal de atendimento, ele espera que os demais canais capturem esta interação e que ela seja incorporada em seus sistemas. Assim, quando o consumidor acessar novamente qualquer canal deste fornecedor, todos conheçam o relacionamento já efetuado e possam proporcionar uma melhor experiência de compra”, explica o executivo.

Ruy Alves, executivo de Serviços do UOL DIVEO, concorda com Casella e chama atenção para a importância de contar com ferramentas de monitoramento dos recursos computacionais (banco de dados, servidores, banda de internet, entre outros pontos), pessoas, insumos necessários e os produtos que estão à venda.

“O dashboard permite acompanhar, em tempo real, seja na infraestrutura ou no negócio, o monitoramento de dados como as tendências de consumo, efetivação de compra, tempo que cada visitante (e potencial comprador) navega no site e, por fim, o tempo médio para a transação da compra”, explica o executivo. O objetivo aqui, continua ele, é garantir a efetividade dos sistemas e da infraestrutura de contingência para que o varejo não corra nenhum risco durante o evento. “Não podemos causar impacto negativo para o consumidor”, alerta.

Para ele, a TI exerce um papel preponderante na Black Friday a fim de garantir a disponibilidade dos ambientes dos sistemas e a efetividade das vendas. “A partir do monitoramento, é possível perceber quais produtos registram a maior tendência de consumo e assim, por uma decisão estratégica de vendas, ampliar o seu destaque no site. Esse é um resultado em conjunto e alinhado entre a TI e a área de negócios do cliente”, aponta.

Experiência de compra

E como o varejo vive hoje um momento que exige inovação no atendimento ao cliente, como a TI pode ajudar na entrega da melhor experiência de compra? Na visão dos especialistas, disponibilidade do site, agilidade, efetividade nas compras e o cumprimento dos prazos de entrega são primordiais para encantar o cliente.

“Esse conjunto garante não apenas o seu retorno, como também que o consumidor compartilhe a sua vivência para o seu círculo de relacionamento. Nesse processo, a TI é a parte que marca presença em todo o ciclo de funcionamento, gerenciamento e satisfação do consumidor”, completa Ruy Alves.

“Conhecer as necessidades e comportamento do consumidor é essencial para o êxito de qualquer negócio e um fator de vantagem competitiva, já que isso permite tomar decisões informadas permitindo ter um diferencial com relação à concorrência. Isso ajuda no processo de fidelização do cliente e na geração de receita e a TI pode ajudar com iniciativas de integração de dados, com capacidade de gerar valor e inteligência de mercado”, conclui Francisco Casella.

Fonte: Decision Report

 

UOL DIVEO oferece DR como serviço

O UOL DIVEO começou a oferecer recuperação de desastres como um serviço (DRaaS, na sigla em inglês), uma solução disponibilizada com base na tecnologia de virtualização de redes NSX, da VMware.
“Com o uso de NSX, nossa oferta é mais dinâmica e adere melhor às redes do cliente”, explica Guilherme Assad, da área de tecnologia do UOL DIVEO
De acordo com Assad, o UOL DIVEO vem fazendo provas de conceito com o NSX há dois anos, desde que a VMware comprou a startup de redes definidas por software Nicira em um negócio de US$ 1 bilhão que marcou uma aposta pesada da companhia na área de redes.
A nova oferta é parte de um posicionamento “multi-cloud” da UOL DIVEO, no qual a companhia está oferecendo as nuvens da Amazon, Google e Microsoft, além da sua própria oferta openstack, vinda da aquisição da Dualtec, entre outros.
A Dualtec foi uma das primeiras empresas no Brasil a se posicionar como uma “cloud broker”, fazendo a intermediação entre seus clientes e grandes provedores como Tivit, Terremark, Global Crossing, CIS-Telefonica e Softlayer.
Fonte: Baguete

UOL DIVEO investe em abordagem multicloud, mas reconhece que caminho no Brasil ainda é longo

O mercado de nuvem deixou de ser tendência, mas ainda estar longe de estar consolidado no Brasil. Números da IDC mostram que os investimentos em cloud pública no País devem chegar a US$ 200 milhões no próximo ano, o que representa apenas uma fração do mercado de TI brasileiro. Apenas esse dado demonstra o grande caminho rumo à transformação da infraestrutura de tecnologia a ser trilhado.

Ainda assim, os principais executivos da UOL DIVEO já começam a trabalhar fortemente o conceito de multicloud, que muito mais que orquestrar diferentes ambientes, traz de forma inteligente as plataformas públicas para dentro do ambiente privado, além dos conhecidos painéis, broker e toda a agilidade necessária nesse momento de transformação experimentado pelas empresas.

“O espaço para transformação é muito grande”, afirmou o COO do provedor Marcos Peigo. “É difícil falar em multicloud sem nuvem publica como componente, independente do tamanho. Uma multicloud efetiva sem a parte pública em nada não acontece”, completou, ao falar sobre o caminho a ser percorrido pelas grandes empresas que, pouco provavelmente, será iniciado por meio das ofertas de nuvem pública.

A abordagem multicloud ou nuvem híbrida como alguns preferem chamar tem sido amplamente discutida e muitas companhias, sobretudo, fora do País já apostam no  modelo por facilitar a gestão de tecnologia em diversos aspectos e também por ajudar a inibir o shadow IT, já que, por meio de painéis, é possível ter controle do que e como está sendo usado.

Ambientes que extraem vantagens da infraestrutura própria otimizada, mas conectado a nuvem pública, oferecem às empresas a possibilidade de escalar quando necessário sem o temor de o projeto não ficar pronto ou de o equipamento não chegar a tempo para um lançamento, por exemplo. Do lado das áreas de negócio, é a chance de um departamento de marketing desenvolver testes de aplicativos e campanhas em ambientes menos regrados que aqueles que guardam dados sensíveis, mas em fugir totalmente do alcance corporativo. Quase que uma liberdade vigiada.

“Multicloud é discutido no mundo todo. O tema é técnico, mas está no dia a dia das empresas. Temos a obrigação de entender esse mundo de TI e tentar traduzi-lo para nossos clientes, não é missão trivial, o mundo é dinâmico com paradigmas quebrados a cada momento. O que seria de internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) e big data sem cloud? Seria impossível”, comentou Gil Torquato, CEO do UOL DIVEO.

Diversas sondagens de mercado, inclusive a Antes da TI, a Estratégia, produzida pela IT Mídia, mostram que muitos CIOs já pensam em seguir essa trilha, já que a demanda por eficiência operacional, redução de custos, entre outras, não param de chegar ao departamento, que, além dessas pressões, precisa lidar melhor com as áreas de negócio, garantindo a elas uma forma de trabalho menos amarrada às rígidas regras de governança (sempre que possível, obviamente).

Assim, provedores, por sua vez, já apostam forte, até por entender que numa jornada de transformação, o legado fará parte por um bom tempo e a nuvem deverá acomodar-se ao cliente. Ou você continua achando que, por pressão de custo, uma empresa de bilhões de faturamento migrará tudo para um ambiente público no calar da noite?

Ambos executivos frisam que a vantagem de um provedor como o UOL DIVEO é a de trabalhar com diversos parceiros – AWS, Google e Microsoft, apenas para citar alguns do que ofertam nuvem, têm acordos com a empresa e referendam a ideia do modelo multi – e não ir ao cliente com a ideia de uma solução única para resolver todos os problemas. Questionado, por exemplo, como seria a orquestração em uma abordagem multicloud, já que diversas fabricantes oferecem ferramenta para isso como VMware, BMC e o próprio Google, Peigo afirmou que utiliza diversas soluções para esta finalidade e que daria opções aos clientes.

“Não temos postura de solução pronta para oferecer ao mercado, mas a de alguém com experiência, conectado com todos do mercado, e, ao mesmo tempo, próximo do negócio do cliente e muito ágil. Aproveitamos a competência tecnológica do parceiro, mas com essa proximidade”, resumiu Peigo.

Para complementar o raciocínio, Torquato adicionou que, além dessa relação aberta com diversos parceiros, o fato de a companhia ser brasileira, conta com uma flexibilidade não vista em muitas multinacionais. “Conseguimos fazer adequações que os clientes precisam, e isso numa multinacional é complicado. Nós estamos aqui para isso, integramos todas as soluções com orquestração transparente para o cliente, nosso painel gerencia tudo e você vê o que acontece em todas as plataformas.

Para o líder de plataforma cloud do Google para América Latina, Fabio Andreotti, que participou do bate-papo de Peigo e Torquato com jornalistas, o fornecedor tem obrigação de entender essa nova realidade e aceitar que o futuro, especialmente em nuvem, é algo multiplataforma, algo que o gigante das buscas captou há alguns anos. “Muitos dos nossos clientes são clientes Google, AWS, Microsoft. São diversas oportunidades que cabe a nós desenvolvermos nossa plataforma para abraçar o que vier. Tendo esse compromisso com formatos abertos e APIs vai viabilizar para que clientes tenham realidade multicloud, até porque, a modalidade com RFP e entrega de pacote pronto não existe mais. Mundo novo pede que cliente seja parte essencial na construção”, pontuou.

Fonte: IT Forum 365

27

Futuro da internet das coisas depende do uso da tecnologia de nuvem

Foi o que ressaltaram os maiores responsáveis por clouds do mundo –Microsoft, Google e Amazon Web Service–, durante encontro realizado pelo UOL DIVEO, empresa do Grupo UOL, nesta quinta-feira (22).

“Para que a internet das coisas esteja presente em nosso cotidiano, faz-se necessário o uso da nuvem para o armazenamento de dados”, explica Cassio Dreyfuss, da empresa de consultoria Gartner. Segundo ele, o cenário de negócios mostra a necessidade de uma abordagem flexível.

Dreyfuss exemplificou a mudança de paradigma gerada pela nuvem nas escolas. O que gerações anteriores denominavam como “minha classe”, uma sala fechada com alunos fixos, logo deixará de existir. “No futuro, todos os negócios serão digitais.”

Para José Nilo Martins, da Amazon Web Services, o processo de nuvem é irreversível para as empresas, que deixarão de armazenar seus dados em centros físicos (data centers). “Amigos não deixam amigos criarem Data Centers”, brincou.

Diferentes tipos de nuvem

O Google aposta em uma plataforma de cloud aberta –similar ao Android, que possibilita adaptações para que o usuário encontre o formato que mais atende à sua demanda.

Fabio Andreotti, chefe do Google da Plataforma de Nuvem na América Latina, também demonstrou a preocupação da companhia com a segurança e garantiu que o serviço é criptografado de ponta a ponta.

Já a Microsoft diz ter adequado a sua estratégia de computação em nuvem à nova era da empresa, mais aberta. Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil, relembrou a época em que o Office era exclusividade do Windows, mas agora está disponível para outros sistemas operacionais.

É com essa visão mais abrangente que a empresa aposta no modelo hídrido –que mescla as características da nuvem pública (opção mais barata por recorrer a provedores cloud) e da nuvem privada (servidores alocados dentro da empresa e com o nível de segurança maior).

Marcos Peigo, Diretor de Operações do UOL DIVEO, e Lauro de Lauro, Diretor de Marketing e Produtos UOL DIVEO, defenderam o multicloud –que combina os diversos tipos de computação em nuvem para aproveitar a melhor característica de cada uma delas– como uma forma de viabilizar o que já existe com as novas tecnologias para o desenvolvimento.

Fonte: UOL TECNOLOGIA

UOL DIVEO está entre as dez empresas mais inovadoras do Brasil

UOL DIVEO, empresa do Grupo UOL, que possui soluções completas de cloud computing, infraestrutura, serviços e segurança, foi reconhecido como uma das dez empresas mais inovadoras do Brasil no ranking de Tecnologia da Informação do prêmio Valor Inovação Brasil 2016. A cerimônia de premiação aconteceu em 18 de julho, em São Paulo.

A premiação é uma ação conjunta realizada entre o jornal Valor Econômico e a consultoria Strategy&, parte do network da PwC, e tem como objetivo avaliar a inovação das companhias que atuam no Brasil em diferentes setores da economia.

A segunda edição do prêmio realizou uma avaliação com grupos de empresas de diferentes setores, utilizando uma metodologia de pesquisa com quatro critérios-base: intenção de inovar, esforço para realizar a inovação, resultados obtidos e avaliação de mercado. Dentro desses critérios-base, a pesquisa também levou em consideração diversos aspectos, como melhores práticas, novos produtos e soluções, estratégias e outros indicadores que revelem práticas inovadoras e histórias de sucesso.

Inovar continuamente para oferecer a melhor solução tecnológica para seus clientes e parceiros é o principal objetivo do UOL DIVEO. Nos último meses, a companhia trabalhou intensamente para desenvolver e operar verdadeiramente em formato multicloud, entregando cloud computing em nuvens privadas, híbridas e públicas.

“Em 2016, nós apresentamos uma nova forma de se trabalhar com cloud computing ao ampliar a oferta em nuvem e apresentar o formato Multicloud e lançamos também a maior nuvem pública em OpenStack do Brasil. O fato de estarmos entre as dez empresas mais inovadoras do país confirma que estamos no caminho certo ao desenvolver novos produtos e serviços que possam dar suporte na jornada de nossos clientes para o digital, colaborando para uma maior competitividade de nossos clientes em suas áreas de atuação”, afirma Gil Torquato, CEO do UOL DIVEO.

Fonte: IN